Departamento de Estado: EUA são capazes de resistir às ameaças militares a Taiwan

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, em uma coletiva de imprensa na quarta-feira (Foto: Departamento de Estado dos EUA).

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, em uma coletiva de imprensa na quarta-feira (Foto: Departamento de Estado dos EUA).

O Departamento de Estado dos EUA reafirmou na quarta-feira seu compromisso “sólido como uma rocha” com Taiwan e disse que os EUA mantêm a capacidade de resistir a qualquer ação que ameace a segurança da ilha, em meio a um recente aumento da pressão militar da China.

Os comentários do porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, ocorreram no momento em que um grupo de porta-aviões chinês conduzia exercícios em águas ao largo de Taiwan e quando 15 aviões de guerra chineses entraram na zona de identificação de defesa aérea de Taiwan (ADIZ) naquele dia, no quinto dia consecutivo dessas incursões.

Em resposta ao aumento da atividade militar, o ministro das Relações Exteriores de Taiwan, Joseph Wu, alertou na quarta-feira que o país lutará “até o último dia” se for atacado pela China.

Questionado em uma coletiva de imprensa sobre o aparente aumento da pressão de Pequim sobre Taipé, Price reafirmou que o compromisso dos EUA com Taiwan permanece “sólido como uma rocha”.

Os EUA observam com grande preocupação os esforços de intimidação contínuos da China na região, inclusive em relação a Taiwan, disse Price.

Em apoio à política norte-americana de longa data, incluindo a Lei de Relações com Taiwan, os EUA “mantêm a capacidade de resistir a qualquer recurso à força ou outras formas de coerção que possam colocar em risco a segurança ou o sistema social e econômico do povo de Taiwan”, disse ele.

Enquanto isso, naquele dia, um porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA foi questionado se o trânsito de um navio da Marinha dos EUA pelo Estreito de Taiwan estava relacionado ao recente aumento da tensão.

O USS John S. McCain (DDG 56), um destroier de mísseis guiados classe Arleigh Burke, conduziu “um trânsito de rotina no Estreito de Taiwan em 7 de abril em águas internacionais de acordo com o direito internacional”, segundo um comunicado do Sétima Frota da Marinha dos EUA.

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, no entanto, disse que os EUA não conduzem exercícios de Liberdade de Navegação ao redor do mundo em resposta a eventos ou ações específicas, mas sim para demonstrar seu compromisso com a liberdade de todas as nações de “navegar, operar e voar de acordo com lei internacional”.

Fonte: Focus Taiwan.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a ChinaCurso de InteligênciaCurso sobre a RússiaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também