Rússia reforça a segurança na prisão de Navalny antes de protesto

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Policiais com um cão de guarda perto de um posto de controle de segurança da colônia penal corretiva IK-2, onde Alexei Navalny cumpre pena, na cidade de Pokrov, Rússia, em 6 de abril de 2021 (Maxim Shemetov/Reuters).

Policiais com um cão de guarda perto de um posto de controle de segurança da colônia penal corretiva IK-2, onde Alexei Navalny cumpre pena, na cidade de Pokrov, Rússia, em 6 de abril de 2021 (Foto: Maxim Shemetov/Reuters).

A polícia russa aumentou a segurança na prisão que mantém o crítico do Kremlin, Alexei Navalny, nesta terça-feira, enquanto seus apoiadores se preparavam para protestar do lado de fora do estabelecimento penal para exigir que as autoridades lhe dessem cuidados médicos adequados.

Navalny, 44, opositor do presidente Vladimir Putin, anunciou uma greve de fome na semana passada em protesto contra o que ele disse ser a recusa das autoridades prisionais em tratá-lo adequadamente para dores agudas nas costas e nas pernas.

Um grupo de seus aliados disse que protestaria na prisão na cidade de Pokrov, a 100 km a leste de Moscou, a partir desta terça-feira, a menos que ele fosse a um médico de sua escolha e recebesse o que consideravam um tratamento adequado.

As autoridades carcerárias dizem que sua condição é satisfatória e que ele recebeu todos os cuidados médicos necessários.

Na noite de segunda-feira, seus aliados disseram que o protesto continuaria depois que Navalny disse que seguia com sua greve de fome, embora tivesse febre alta e tosse forte e três internos em sua enfermaria tivessem sido hospitalizados com tuberculose.

O jornal pró-Kremlin Izvestia mais tarde citou o serviço da prisão estadual dizendo que Navalny havia sido transferido para uma enfermaria e testado para o coronavírus.

Na manhã de terça-feira, policiais, um com um cão policial, montaram um posto de controle improvisado em frente ao portão da prisão e usaram uma barreira de metal para bloquear a estrada a 100 metros dele.

Eles fecharam o estacionamento para todos, exceto os funcionários da prisão, e verificaram as identidades de repórteres e funcionários. “Agora está sob um regime especial (de segurança)”, disse uma policial à Reuters.

Antonina Romanova, uma apoiadora de Navalny, disse que veio para mostrar solidariedade. “Eu acredito que ele é inocente. Estou totalmente do lado dele”, disse ela. “Acontece que, por algum motivo, as pessoas que podem resolver as coisas no país acabam na prisão”, disse ela.

Fonte: Reuters.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também