Duas aeronaves de combate chinesas entram na zona de defesa aérea de Taiwan

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Um J-10B pousando no aeroporto de Zhuhai Jinwan antes do Airshow China 2018 Foto: (Alert5/Wikimedia Commons/CC-ASA 4.0).

Um Chengdu J-10B pousando no aeroporto de Zhuhai Jinwan pouco antes do Airshow China 2018 Foto: (Alert5/Wikimedia Commons/CC-ASA 4.0).

Dois aviões de combate chineses entraram na zona de identificação de defesa aérea (ADIZ) de Taiwan na manhã de segunda-feira, marcando a 12ª invasão neste mês. Nos últimos meses, Taiwan relatou incursões de aviões de guerra chineses no ADIZ quase que diariamente. Aviões chineses foram avistados na zona de identificação de Taiwan em 1, 2, 3, 8, 10, 11, 12, 14, 15, 17, 20 e 22 de março, informou o Taiwan News.

As zonas de identificação de defesa aérea são sistemas de alerta precoce que ajudam os países a detectar incursões em seu espaço aéreo. Qualquer aeronave que entre em tal área deve relatar sua rota e propósito ao país “anfitrião”, embora as zonas sejam classificadas como espaço aéreo internacional e os pilotos não sejam legalmente obrigados a fazer tal notificação.

Dois caças J-10 da Força Aérea do Exército de Libertação do Povo (PLAAF, People’s Liberation Army Air Force) voaram para o canto sudoeste do ADIZ de Taiwan, a nordeste das Ilhas Dongsha (Ilhas Pratas), de acordo com o Ministério da Defesa Nacional, segundo divulgado pela mídia de Taiwan.

Em resposta, Taiwan enviou jatos de combate, emitiu avisos de rádio e implantou sistemas de mísseis de defesa aérea para rastrear os aviões. As novas incursões ocorrem em meio à escalada das tensões na região, enquanto Pequim aumenta a pressão sobre Taipei.

A China disse que a “independência de Taiwan” significa guerra. Wu Qian, porta-voz do Ministério da Defesa Nacional da China, em 28 de janeiro “alertou” as pessoas que desejam “independência de Taiwan” e disse que “aqueles que brincam com fogo vão se queimar”, e que buscar a “independência de Taiwan significa apenas guerra”.

Com informações da ANI Asian News International.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

2 comentários

  1. Boa tarde,
    Taiwan é um país? para o Paraguai é. Tem uma economia estável tem, nada se comparada a china claro. opinião: Taiwan vai se incorporada pela china, seja por uso de politicas diplomáticas ou uso progressivo da força, não tem jeito, acabou. quando a torneira de dinheiro americano secar, a tal democracia de Taiwan vai cai no colo do partido. Ou se eles acharem que é gente grande e peitar, não tem outra cai do mesmo jeito, aquele balaio de rebeldes estão condenados.

  2. Infelizmente nós aqui no Brasil e qualquer pessoa ou País em outro lugar do mundo que não seja esses dois países envolvidos, não podemos dizer quem está certo ou errado, pois é um assunto interno e de soberania de outros países, apenas vamos torcer para tudo terminar na caneta e não na pólvora e sabemos que nenhum país virá “socorrer” Taiwan até mesmo aquele que se diz o Sr. Democracia, EUA, nem mesmo reconhece a existência de Taiwan e será o primeiro a pular fora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também