Conflito Sírio-Turco em Idlib: resultados de 24 a 28 de fevereiro de 2020

Albert-VF1 Publicado no South Front. Traduzido e adaptado para português por Albert Caballé Marimón*

Baixar-PDF


Apoie o Velho General: contribua com a manutenção do blog, conheça as opções.


Capa-PDF.jpg
Comboio militar turco na parte leste de Idlib, Síria, na sexta-feira (Foto: Associated Press).

A Turquia conquistou uma posição importante em Saraqeb, província de Idlib, na Síria, mas sofreu um revés significativo na noite de 27 para 28 de fevereiro. A ameaça de uma nova guerra maior na região está aumentando e há agora muitas incertezas. Um resumo da semana na Síria pelo South Front.


A semana de 24 de fevereiro tornou-se, para o governo turco e seus representantes ligados à Al Qaeda, um fragmento de luz no reino de trevas de Assad. Desde 19 de dezembro de 2019, as forças do governo sírio assumiram o controle de aproximadamente 2.400 km2 nas províncias de Idlib e Aleppo. No decurso da operação, eles repeliram vários contra-ataques liderados pela Turquia e desferiram vários golpes dolorosos ao exército turco. No entanto, no final de fevereiro de 2020, os esforços militares turcos enfim produziram resultados importantes.

No início da semana, o Exército Sírio havia interrompido as ações ofensivas a leste da cidade de Idlib e transferido a maioria de suas unidades bem treinadas e motivadas de lá para a parte sul da província. Tropas e equipamentos da 25ª Divisão de Forças Especiais e da 4ª Divisão Blindada juntaram-se a uma operação terrestre para cortar a saliência dianteira ao sul da estrada M4. Isso enfraqueceu a defesa do exército perto de Saraqeb e as forças lideradas pela Turquia imediatamente exploraram a oportunidade.

LIVRO RECOMENDADO:

Kobane Calling: ou como fui parar no meio da Guerra na Síria

  • Zerocalcare (Autor)
  • Em português
  • Versões eBook Kindle e Capa Comum

Em 24 de fevereiro, Hayat Tahrir al-Sham, o Partido Islâmico do Turquistão, a Frente Nacional de Libertação e outros grupos ligados à Al Qaeda apoiados diretamente pela artilharia turca, veículos aéreos não tripulados e forças especiais lançaram um ataque a Nayrab. Empregavam mais de uma dúzia de carros de combate e veículos blindados fornecidos pela Turquia. As forças lideradas pela Turquia entraram em Nayrab no mesmo dia e consolidaram o controle sobre a cidade em 25 de fevereiro. Foram apreendidos dois carros de combate, quatro veículos de infantaria blindada, um canhão autopropulsado Shilka, um caminhão GAZ, uma arma de 23 mm montada num caminhão, duas escavadeiras e cinco mísseis guiados antitanque Konkurs. No mesmo dia, o Exército Sírio abateu um veículo aéreo não tripulado TAI Anka da Turquia.

A seguir as forças lideradas pela Turquia avançaram em direção a Saraqeb capturando as aldeias de Salihiya, Afis e entrando na própria Saraqeb. Na manhã de 27 de fevereiro, elas haviam conquistado total controle sobre Saraqeb e continuaram o avanço. A rodovia M5, que Damasco declarou oficialmente reaberta, foi novamente cortada. Durante o ataque, as forças lideradas pela Turquia capturaram um carro de combate T-90, um T-72 e vários outros veículos. As forças turcas também empregaram pelo menos dois MANPADS contra aeronaves da Força Aérea da Síria que atacavam alvos a leste de Saraqeb, mas não conseguiram derrubar nenhum deles.

A queda de Saraqeb demonstrou desorganização, uma aparente moral baixo e o fracasso dos esforços de fortificação das tropas sírias que permaneceram na área. Fontes pró-governo também culparam a Rússia pela falta de apoio aéreo aproximado durante os combates. Ao mesmo tempo, fontes pró-militantes relataram dezenas de ataques aéreos russos em suas posições. As aldeias de Dadikh, Jawbas e Kafr Battikh caíram nas mãos das forças lideradas pelos turcos após Saraqeb. A propaganda da Al-Qaeda afirma que o objetivo do avanço liderado pela Turquia é retomar Maarat al-Numan. Vários contra-ataques realizados por tropas sírias, incluindo o mais recente na noite de 27 de fevereiro, não resultaram em ganhos.

LIVRO RECOMENDADO:

O Novo Czar: ascensão e reinado de Vladimir Putin

  • Steven Lee Myers (Autor)
  • Em português
  • Versões Capa Dura e Capa Comum

É improvável que a situação possa virar a favor dos sírios sem reforços adicionais da 25ª Divisão de Forças Especiais e de outras unidades endurecidas pelo combate. No momento, as forças armadas sírias estão realocando suas unidades de elite na área e se preparando para um grande contra-ataque.

Fontes pró-turcas fornecem numerosos e frequentemente conflitantes relatórios sobre baixas entre as forças sírias. Se sumarizarmos as alegações do Ministério da Defesa turco no Twitter, descobriremos que cerca de quinhentos soldados sírios foram supostamente mortos ou feridos em operações lideradas pela Turquia. Segundo outras fontes pró-Al-Qaeda, mais de cem soldados sírios foram mortos apenas em Saraqeb. O lado sírio não divulga tais alegações, no entanto os desenvolvimentos no terreno falam por si.

Em 26 de fevereiro, o Ministério da Defesa turco disse que dois soldados turcos foram mortos e outros dois ficaram feridos em um ataque aéreo sírio. Em 27 de fevereiro, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse que mais três soldados turcos foram mortos em Idlib. Da noite para o dia 28 de fevereiro, uma série de ataques aéreos atingiu um comboio e posições de forças turcas perto de al-Bara matando ao menos trinta soldados turcos e ferindo pelo menos mais trinta. Comentando a situação, o lado russo enfatizou que o pessoal turco estava envolvido com “terroristas”.

LIVRO RECOMENDADO:

Dias de inferno na Síria: O relato do jornalista brasileiro que foi preso e torturado em plena guerra

  • Klester Cavalcanti (Autor)
  • Em português
  • Capa Comum

Note-se que os ganhos turcos no leste de Idlib ocorreram em meio ao rápido avanço do exército sírio para o sul. No período de 23 a 28 de fevereiro, as tropas do governo assumiram o controle de mais de trinta vilarejos e cidades, incluindo Kafr Nabel e se deslocaram a uma curta distância de al-Barah, o último grande reduto militante a caminho da rodovia M4. As forças lideradas pela Turquia não demonstraram resistência real na área porque enviaram a maior parte de suas tropas e equipamentos em direção a Saraqeb.

Tecnicamente, os militares sírios liberaram uma área muito maior do que perderam durante a semana. No entanto, a perda de Saraqeb é um doloroso revés estratégico que prejudica o controle do Exército Sírio sobre a encruzilhada M4-M5 e limita sua capacidade de manobra ao longo da área da linha de frente no leste de Idlib.

Além disso, a ameaça de uma nova guerra maior na região está aumentando. O governo Erdogan demonstra que é um defensor ativo e consistente da Al-Qaeda e está pronto para pagar em sangue para proteger terroristas turcos em Idlib e consolidar sua influência sobre o território soberano da Síria que ele invadiu.

Banner-loja-02.jpg


*Albert Caballé Marimón possui formação superior em marketing, é fotógrafo profissional e editor do blog Velho General. Já atuou na cobertura de eventos como a Feira LAAD, o Exercício CRUZEX e a Operação Acolhida. É colaborador da revista Tecnologia & Defesa e do Canal Arte da Guerra, onde, entre outras atividades, mantém uma resenha semanal de filmes e documentários militares. Entre suas atividades, já proferiu palestras para os cadetes da Academia da Força Aérea. Pode ser contatado através do e-mail caballe@gmail.com.


 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s