Breve Cronologia da Guerra das Malvinas

B-Top-720x75px-ESQ-CBT.jpg


Utilize este cupom e ganhe 15% de desconto nos produtos da ESQUADRÕES DE COMBATE: ARTEDAGUERRA15

Albert-VF1 Por Albert Caballé Marimón* 

Baixar-PDF

Capa-PDF.jpg

Mapa das Ilhas Falklands/Malvinas


SGAM-Logo-300px.png

Em abril de 1982, a Junta Militar que governava a Argentina realizou uma operação para conquistar as Ilhas Malvinas. Poucos dias depois, a Grã-Bretanha colocou em marcha sua maior operação militar desde a Segunda Guerra Mundial. Este artigo traz uma breve cronologia da guerra, que não tem por objetivo esgotar todos os fatos ocorridos, mas apenas colocar em ordem cronológica os principais acontecimentos, de forma a facilitar a compreensão do conflito e “preparar terreno” para os artigos da Semana da Guerra Aérea das Falklands/Malvinas que iniciamos nesta semana.


FASE DE PREPARAÇÃO

29 de março a 2 de abril

  • A Argentina executa a “Operação Rosário”, a retomada das Ilhas Malvinas.

7 de abril

  • O alto escalão militar de Buenos Aires percebe que houve um sério erro de avaliação na estimativa da resposta britânica. Rapidamente são criados planos para mobilização em larga escala e implantações emergenciais.

12 de abril

  • Os britânicos declaram uma MEZ (Maritime Exclusion Zone, Zona de Exclusão Marítima) de 200 mn (370 km) ao redor das Malvinas.

25 de abril

  • O submarino argentino ARA Santa Fé afunda na baía de Grytviken, na ilha das Geórgias do Sul, como resultado de um ataque de mísseis lançados por um helicóptero britânico.

30 de abril

  • Chegada à região das Malvinas do primeiro dos três escalões britânicos.
  • Os britânicos redefinem a MEZ como uma Zona de Exclusão Total (TEZ, Total Exclusion Zone).
  • Os Estados Unidos declaram publicamente seu apoio à Grã-Bretanha.
The Falklands War, Day By Day (English Edition) por [Gibbon, James] LIVRO RECOMENDADO:

The Falklands War, Day by Day

  • James Gibbon (Autor)
  • Em inglês
  • eBook Kindle

FASE AERONAVAL

1º de maio

  • Bombardeio de Vulcan da RAF ao aeroporto de Puerto Argentino (Port Stanley), seguido de ataques por Sea Harriers aos aeroportos de Puerto Argentino e Pradera del Ganso (Goose Green).
  • Onda de ataque argentina: são enviados Dez Mirage, doze Dagger, seis Canberra e 28 Skyhawk. 35 aeronaves atingiram suas áreas de combate designadas com a perda de dois Mirage, um Dagger e um Canberra.

2 de maio

  • O porta-aviões argentino ARA Veinticinco de Mayo, posicionado no extremo noroeste da TEZ, perde a oportunidade de lançar um ataque contra a Força-Tarefa Britânica.
  • O cruzador argentino ARA General Belgrano é afundado pelo submarino britânico HMS Conqueror.

4 de maio

  • Ataque britânico a Pradera del Ganso (Goose Green). Primeira perda de um jato Harrier.
  • Ataque argentino contra o destroier HMS Sheffield (são utilizados dois mísseis Exocet).

5 de maio

  • A força-tarefa da Royal Navy se retira para leste das Malvinas.
  • O ARA Veinticinco de Mayo desembarca suas aeronaves e retorna ao porto de origem.

6 de maio

  • Perda de dois Harriers britânicos no mar devido a uma possível colisão aérea. A força de Sea Harriers diminui para dezessete.

Banner-Alexa.jpg

9 de maio

  • Sea Harriers afundam o trawler argentino Narwal.
  • Duas aeronaves Skyhawk do Grupo 4 de Caza caem na Isla de los Arrecifes nas Islas Sebaldes (South Jason Island nas Jason Islands) devido à baixa visibilidade.
  • O HMS Coventry destrói um helicóptero Puma do exército argentino sobre Puerto Argentino (Port Stanley) com um míssil Sea Dart.

12 de maio

  • Caças Skyhawk do Grupo 5 de Caza atacam os navios britânicos HMS Glasgow e HMS Brilliant e bombardeiam o aeroporto de Puerto Argentino. O Glasgow é retirado para reparos. Quatro aeronaves Skyhawk e seus pilotos são perdidos, dois deles para mísseis Sea Wolf.

15 de maio

  • Comandos britânicos invadem o campo de pouso em Isla Borbón (Pebble Island), nas Malvinas Orientais, e destroem uma estação de radar e onze aeronaves: seis Pucará do Grupo de Ataque 3, quatro Turbo Mentor da 1ª Escuadrilla Aeronaval de Ataque (EA41) e um avião de transporte Skyvan pertencente à Prefectura Naval (guarda costeira argentina).
  • Aviões Neptune ASW argentinos de são retirados de serviço.

18 de maio

  • O segundo escalão da força-tarefa (quatorze navios de combate e nove embarcações auxiliares) com seis Harrier GR MK 3, oito Sea Harriers e dez helicópteros chega à área operacional no Atlantic Conveyor1. A força de Harrier é de 31 aeronaves2.
Air War in the Falklands 1982 (Combat Aircraft Book 28) (English Edition) por [Chant, Chris] LIVRO RECOMENDADO:

Air War in the Falklands 1982

  • Chris Chant (Autor), Mark Rolfe (Ilustrador)
  • Em inglês
  • Versões eBook Kindle e Capa Comum

FASE DE DESEMBARQUE ANFÍBIO

21 de maio

  • Desembarque anfíbio britânico na baía de San Carlos.
  • São lançadas cinquenta ondas de ataque argentinas vindas do continente em formações de três a seis aeronaves. As perdas são de cinco Skyhawk, cinco Dagger, dois Pucará, dois Puma e um Chinook.
  • O HMS Ardent afunda.

22 de maio

  • Cinco batalhões de fuzileiros navais e paraquedistas se entrincheiram na baía de San Carlos com baterias de mísseis Blowpipe e Rapier.

24 de maio

  • O HMS Antelope afunda como resultado de ataques no dia anterior.
  • Os LST britânicos Sir Galahad e Sir Lancelot são danificados.

25 de maio

  • Onda de ataque argentina; o HMS Coventry
  • Ataque ao Atlantic Conveyor (são usados dois mísseis Exocet).
  • As forças britânicas atingem a marca de 5.500 tropas e 5.000 toneladas de suprimentos e equipamentos em San Carlos desde 21 de maio.

FASE DE GUERRA TERRESTRE

27 de maio

  • Forças britânicas atacam posições argentinas em Puerto Darwin (Darwin) e Pradera del Ganso (Goose Green).

28 de maio

  • Missões de apoio aéreo aproximado são realizadas por aeronaves Harrier e Pucará para suas respectivas forças.
  • Puerto Darwin é capturada pelos britânicos.

Banner-loja-02.jpg

29 de maio

  • Um Hercules C-130 improvisado como bombardeiro ataca o British Wye, um navio-tanque, a 830 milhas ao norte das Malvinas; não houve danos.

30 de maio

  • É realizado o último ataque argentino com mísseis Exocet lançados por aeronaves contra navios britânicos.
  • Continua o avanço britânico em direção a Puerto Argentino (Port Stanley).

1º de junho

  • Uma aeronave Hercules C-130 argentina é destruída por um Harrier ao norte de San Carlos.

3 de junho

  • Ataques com mísseis Shrike em Puerto Argentino (Port Stanley) por um Vulcan da RAF. Sem poder retornar à Ilha da Ascensão devido a uma sonda de reabastecimento danificada, o bombardeiro segue para o Rio de Janeiro, onde é apreendido pelas autoridades brasileiras.

5 de junho

  • Uma pista de aterrissagem feita de alumínio com 850 pés é construída pelos britânicos na praia de San Carlos como uma ponto de pouso avançado para os Sea Harriers.

7 de junho

  • Um Learjet argentino em missão de reconhecimento a 12.000 m de altitude é destruído por um míssil Sea Dart do HMS Exeter.
LIVRO RECOMENDADO:

Battle Atlas of the Falklands War 1982

  • Gordon Smith (Autor)
  • Em inglês
  • Capa Comum

8 de junho

  • Aeronaves Skyhawk argentinas destroem o LST Sir Galahad e danificam o LST Sir Lancelot em Bahia Agradable (Bluff Cove), onze quilômetros ao sul de Puerto Argentino (Port Stanley).

12 de junho

  • Uma versão superfície-superfície do Exocet é lançada de Puerto Argentino (Port Stanley) e danifica o destroier britânico HMS Glamorgan a uma distância de 29 km.

13 de junho

  • Tropas britânicas realizam ataques noturnos contra posições em torno de Puerto Argentino (Port Stanley).

14 de junho

  • Rendição formal das forças argentinas.

NOTAS

Bruner, R.M., Major, “Soviet Military Science and the Falklands Conflict”, US Naval Institute Proceedings, Vol. 111/11/993, Novembro de 1985, p.90.

Um terceiro escalão (sete navios de combate e onze embarcações auxiliares) com vinte Harriers no Atlantic Causeway chegou às Malvinas em junho, quando a guerra já estava chegando ao fim.

 


*Albert Caballé Marimón possui formação superior em marketing, é fotógrafo profissional e editor do blog Velho General. Já atuou na cobertura de eventos como a Feira LAAD, o Exercício CRUZEX e a Operação Acolhida. É colaborador do Canal Arte da Guerra e da revista Tecnologia & Defesa. Pode ser contatado através do e-mail caballe@gmail.com.


Apoie o VG e ganhe um PDF sobre a Amazônia!

Ajude a manter o Velho General! O apoio financeiro ajuda a cobrir despesas com hospedagem de site, Internet, passagens e hospedagens na cobertura de matérias, assinaturas, livros, etc. A contribuição é única, não mensal. Contribua com quantas cotas quiser e ganhe um PDF com os artigos sobre a Amazônia, organizado com capa e índice! O Velho General agradece a sua contribuição!

R$5,00


 

  2 comments for “Breve Cronologia da Guerra das Malvinas

  1. 02/12/2019 às 17:01

    Para quem vê de longe, pode até parecer um curto espaço de tempo. Mas para quem o estuda e ainda mais, para quem o viveu, será uma eternidade. Pontapé inicial da Semana no VG está dado!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: