Infográfico: A disputa China-Taiwan e breve cronologia das tensões militares

Ilustração: Dado Ruvic/Reuters.

Taiwan tem se destacado como um dos epicentros das tensões na região desde o fim da ocupação japonesa após a Segunda Guerra Mundial, quando retornou à soberania chinesa

A China e o elemento surpresa

Imagem: Shutterstock.

Não obstante a retórica e as ações que remetem ao incremento das possibilidades de uma guerra iminente entre a China e os Estados Unidos, o autor deste artigo aponta que existe uma opção política, depois de analisar diversas alternativas.

Radar Semanal 30/07/21

Imagem: Erika Wittlieb/Pixabay.

Nesta edição do Radar: Forças dos EUA sofrem derrota em simulação de combate em Taiwan e alarmam Joint Chiefs; Tunísia enfrenta sua pior crise política desde a Primavera Árabe; Crise afegã se deteriora e China quer substituir os EUA; Negociação é única saída para o Afeganistão.

Radar Semanal 02/07/21

Meninas ensaiam na Praça Tiananmen, Pequim, antes do desfile comemorativo do 100º aniversário da fundação do Partido Comunista Chinês (Foto: Foreign Policy).

Nesta edição do Radar, trazemos uma matéria sobre a realização de jogos de guerra conjuntos entre os EUA e o Japão, em preparação para um possível confronto com a China por Taiwan; um artigo explana como a OTAN vem evoluindo sua concepção sobre ataques cibernéticos; uma avaliação da relação entre a União Europeia e a Turquia; e uma análise mostra que o partido chinês mantém uma consistência nacionalista ao longo de seus 100 anos de existência.

Ministro da Defesa japonês diz que é preciso “acordar” para proteger Taiwan

Yasuhide Nakayama, então Ministro das Relações Exteriores do Japão, durante a Cúpula da Casa Branca sobre Combate ao Extremismo Violento em Washington, em 19 de fevereiro de 2015 (Foto: Joshua Roberts/Reuters).

O Ministro da Defesa do Japão questionou a decisão de seguir a política de “uma China”, que reconhece Pequim em vez de Taipé desde os anos 1970.

Após exercícios maciços, China diz que futuro de Taiwan está na reunificação

Porto Kaohsiung em Taiwan, de frente para o Estreito de Taiwan (Foto: Formosa Wandering/Flickr/CC BY-NC 2.0)

Porta-voz do Ministério da Defesa chinês disse que a independência de Taiwan significa guerra, e que os EUA devem entender que o desenvolvimento e o crescimento da China “não podem ser interrompidos por nenhuma força”.

Posicionar uma brigada do US Army em Taiwan e outras formas de conter a China sendo consideradas

Soldados da Força-Tarefa Spartan da 155ª Equipe de Combate de Brigada Blindada do US Army em exercício de fogo real em 2018 perto de Alexandria, Egito (Foto: James Lefty Larime/US Army).

Essa decisão provavelmente abandonaria a atual política de ambiguidade estratégica em relação a Taiwan, que intencionalmente não deixa claro se os EUA defenderiam a ilha em caso de conflito.

Tensão China-EUA: Strike groups mostram os EUA fortalecendo sua presença no Indo-Pacífico

Porta-aviões classe Nimitz da marinha americana, USS Carl Vinson (Foto: US Navy).

Especialistas militares dizem que implantação regular de grupos de ataque na região indica que os EUA continuarão a fortalecer sua presença militar na região; Especialistas militares e estaleiros chineses acompanharam de perto o teste de choque do USS Gerald Ford para possíveis lições.

China condena mais recente trânsito de navio de guerra dos EUA no Estreito de Taiwan

O destroier de mísseis guiados da US Navy USS Curtis Wilbur no mar das Filipinas em agosto de 2013 (Foto: Declan Barnes/US Navy).

A US Navy tem conduzido operações no Estreito de Taiwan a cada mês ou mais. Os EUA não têm laços diplomáticos com Taiwan, mas são seu maior patrocinador e importante vendedor de armas.

Radar Semanal 18/06/21

Imagem: Australian Institute of International Affairs.

O Radar desta semana traz um estudo de qual deve ser a próxima Estratégia de Defesa Nacional dos EUA; uma análise da possibilidade de a China invadir a Ilha Pratas, controlada por Taiwan; Uma avaliação da situação militar da França no Sahel, com a Operação Barkhane; e um analista comenta os atritos entre a China e os países da comunidade de inteligência denominada Five Eyes.