Quem comandará o exército líbio após o acordo politico?

A incerteza paira sobre as posições da defesa do país, apesar dos recentes desenvolvimentos positivos na Líbia.

Radar Semanal 12/02/2021

Neste Radar, sanções americanas a Mianmar, uma breve análise dos mísseis do Paquistão, a bomba nuclear do Irã de acordo com a inteligência da IDF; os EUA e países da OTAN intensificam operações no Mar do Sul da China e uma análise do Al-Monitor sobre a atuação da Rússia na Líbia.

As primeiras ações de Biden no Oriente Médio

Os movimentos iniciais de Joe Biden em relação ao Irã e ao Oriente Médio parecem indicar uma mudança radical na política externa americana para a região. É difícil prever quais poderão ser os resultados efetivos, mas, como sempre pode acontecer, ainda que uma política pareça virtuosa seus resultados podem se distanciar muito das intenções.

O avanço geopolítico da Rússia de Vladimir Putin

Com o fim da URSS e a queda do Pacto de Varsóvia, no início dos anos 1990, a Rússia perdeu os “estados-tampão” que lhe traziam segurança; Vladimir Putin, em discurso proferido em 2005, afirmou que essa foi a maior catástrofe geopolítica da história da Rússia. Desde o início de suas gestões –como primeiro-ministro e como presidente –, ele vem trabalhando para restabelecer os “amortecedores estratégicos” perdidos.

Radar Semanal 16/10/2020

Dois destaques especiais: uma análise da guerra do Nagorno-Karabakh publicada pelo War On the Rocks e um estudo publicado pelo Wavell Room sobre possíveis aprendizados dos militares depois de anos de ataques cibernéticos. Além disso, exercícios conjuntos EUA-Israel com F-35, novos fuzis do exército americano e mais.

Radar Semanal 09/10/2020

Nesta edição, entre outros assuntos, o Radar mostra uma análise sobre o porque das falhas de Washington no Oriente Médio; a aposta de Erdogan, da Turquia, no conflito entre Armênia e Azerbaijão; Uma análise sobre os crescentes custos de defender Taiwan; e uma avaliação da previsão de Mark Esper de 500 navios para a US Navy.

Lições da Campanha Aérea da Líbia de 2011

A análise da Campanha Aérea da OTAN na Líbia em 2011 traz à tona, mais uma vez, a importância de fatores outros que não só o equipamento de combate em si. Reconhecimento, treinamento, Comando e Controle são fundamentais para o sucesso de uma campanha militar.

O Gripen da Força Aérea da Suécia na Líbia

Durante seis meses no ano de 2011, a Força Aérea da Suécia utilizou com sucesso o JAS39 Gripen C na Líbia, em apoio à OTAN na operação Unified Protector.