Radar Semanal 06/02/2021

EXCLUSIVO ASSINANTES: Nesta edição, o golpe de estado em Mianmar, no sudeste asiático, uma análise de como a eleição de Joe Biden pode afetar as relações entre Israel e a Turquia, e um acadêmico americano acredita que o alinhamento ideológico pode estar empurrando os Estados Unidos ao totalitarismo.

O avanço geopolítico da Rússia de Vladimir Putin

Com o fim da URSS e a queda do Pacto de Varsóvia, no início dos anos 1990, a Rússia perdeu os “estados-tampão” que lhe traziam segurança; Vladimir Putin, em discurso proferido em 2005, afirmou que essa foi a maior catástrofe geopolítica da história da Rússia. Desde o início de suas gestões –como primeiro-ministro e como presidente –, ele vem trabalhando para restabelecer os “amortecedores estratégicos” perdidos.

A França em luto

O laicismo do estado francês vem entrando em choque com a comunidade islâmica do país que, com seis milhões de pessoas, já é a maior da Europa. O assassinato do professor Samuel Paty, na última semana, é o mais recente de uma série de atentados terroristas que vem se intensificando desde 2012 e que já vitimaram cerca de 260 pessoas.

Radar Semanal 09/10/2020

Nesta edição, entre outros assuntos, o Radar mostra uma análise sobre o porque das falhas de Washington no Oriente Médio; a aposta de Erdogan, da Turquia, no conflito entre Armênia e Azerbaijão; Uma análise sobre os crescentes custos de defender Taiwan; e uma avaliação da previsão de Mark Esper de 500 navios para a US Navy.

Armênia e Azerbaijão: cem anos de rivalidade

Região criada pela União Soviética nos anos 1920, o Nagorno-Karabakh gerou tensões entre Armênia e Azerbaijão, mantidas sob controle durante o regime. Com a queda da URSS, os países travaram uma guerra sangrenta pela região que terminou em 1994, mas desde então os atritos na região são constantes.

Turquia abate aeronave da Síria e exército sírio avança

Enquanto a Turquia afirma ter abatido uma terceira aeronave da força aérea síria, o exército sírio prossegue com avanços na província de Idlib; Erdogan e Putin devem reunir-se em Moscou nesta semana para discutir a situação.

Putin pode ter reacendido a simpatia de Erdogan pela OTAN?

Erdogan pode ter cometido um erro de cálculo na Síria e se enganado com Putin. E isso pode ter arruinado a “amizade” que tinham. Poderia também significar que as sempre cuidadosamente planejadas jogadas do homem forte da Rússia talvez não saiam exatamente como planejado desta vez.