O retorno do Império Otomano é possível?

Tropas turcas e azeris em exercícios militares conjuntos na província de Kars, leste da Turquia (Foto: Reuters).

A Turquia governada por Recep Tayyp Erdogan, um admirador do Império Otomano, vem ganhando destaque internacional nos últimos tempos, com ações na Síria, em apoio ao Azerbaijão, e obtendo proeminência inclusive em tecnologias militares. Mas até que ponto isso pode significar o renascimento de um “novo” Império Otomano?

As Cruzadas

Apesar da motivação religiosa, as Cruzadas não foram campanhas militares movidas exclusivamente pela fé cristã. Além da libertação de locais sagrados, essas empreitadas tiveram diversos objetivos: tais como a contenção da expansão muçulmana, o restabelecimento de linhas de comunicação e rotas comerciais e a cobiça colonial por novas terras, além de redirecionar tensões sociais vividas na Europa.