Radar Semanal 18/06/21

Imagem: Australian Institute of International Affairs.

O Radar desta semana traz um estudo de qual deve ser a próxima Estratégia de Defesa Nacional dos EUA; uma análise da possibilidade de a China invadir a Ilha Pratas, controlada por Taiwan; Uma avaliação da situação militar da França no Sahel, com a Operação Barkhane; e um analista comenta os atritos entre a China e os países da comunidade de inteligência denominada Five Eyes.

Sete aeronaves de combate do PLA entram na ADIZ de Taiwan dois dias após surtida recorde

O caça J-7, mais antigo, estava entre os sete aviões na última investida chinesa na ADIZ de Taiwan (Foto: SCMP).

Taiwan enviou jatos, emitiu avisos de rádio mobilizou sistemas de mísseis de defesa aérea; sobrevoo incluiu quatro caças J-7 antigos juntamente com jatos modernos, e analistas dizem que poderia ser um teste de interoperabilidade.

Força Espacial dos EUA quer usar sistemas de energia dirigida para superioridade espacial

Sistema de contra-comunicação é usado para bloquear satélites inimigos (Foto: Andrew Bertain/US Space Force).

A Força Espacial dos EUA tem sido pouco clara sobre quais sistemas de armas está desenvolvendo, seja para proteger seus satélites ou para derrotar satélites inimigos.

O que significa voltar a aderir à Europa?

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltemberg, participam da cúpula da OTAN, em Bruxelas (Foto: Reuters).

“A UE parece relutante em iniciar ações de longo alcance contra a China, preferindo ações mais modestas e menos arriscadas … A clareza da missão da OTAN na Guerra Fria já não existe. Em uma questão fundamental para os Estados Unidos, retornar à Europa traz retornos mínimos.”

Indicado ao Pentágono diz que os EUA podem “deter e derrotar” a agressão chinesa

Ely Ratner (Foto: Center for a New American Security).

Ratner foi conselheiro adjunto de Segurança Nacional do então vice-presidente Biden entre 2015 e 2017, e afirmou que, se confirmado, trabalhará com o comitê das Forças Armadas do Senado para garantir que a capacidade dos EUA em defender Taiwan seja mantida.

Terceiro porta-aviões da China toma forma

Porta-aviões chinês Liaoning (Foto: PLAN/CGTN).

O terceiro porta-aviões chinês será consideravelmente maior do que seus antecessores, o Liaoning e o Shandong, e deverá operar com um sistema CATOBAR eletromagnético.

China denuncia comunicado da OTAN e defende política de gastos militares

Soldados do Exército de Libertação Popular da China em treinamento militar nas montanhas Pamir em Kashgar, noroeste da China, região de Xinjiang (Foto: AFP/Getty Images).

Missão chinesa na UE disse que os gastos militares de Pequim são muito menores do que os de membros da OTAN e acusou a aliança de conjurar uma ameaça militar chinesa para justificar sua própria agenda.

O Pentágono considera uma força-tarefa naval permanente no Pacífico para combater a China

O porta-aviões USS Theodore Roosevelt (CVN 71) navega no Oceano Pacífico em 25 de janeiro de 2020 (Foto: Kaylianna Genier/US Navy).

Duas iniciativas em consideração dariam mais força ao discurso duro do presidente Joe Biden sobre a China; ainda não está claro se uma eventual força-tarefa também incluiria outros países.

Após incursão maciça de aeronaves perto de Taiwan, China diz que deve responder ao “conluio”

Ilustração com bandeiras nacionais chinesas e taiwanesas (Dado Ruvic/Reuters).

Porta-voz do Escritório de Assuntos de Taiwan da China disse que Pequim nunca irá tolerar tentativas de buscar independência ou intervenção estrangeira na questão de Taiwan.

Novo destroier da marinha chinesa navega no Mar do Sul da China

O Nanning, destroier Tipo 052D, fotografado junto ao navio de abastecimento Chaganhu, do Comando do Teatro do Sul, durante exercícios (Foto: PLAN/Weibo).

Com radares avançados, eletrônicos comparáveis ​​ao sistema AEGIS e lançadores de mísseis verticais de 64 células, os navios do Tipo 052D correspondem à classe Arleigh Burke da US Navy.