Radar Semanal 18/06/21

Imagem: Australian Institute of International Affairs.

O Radar desta semana traz um estudo de qual deve ser a próxima Estratégia de Defesa Nacional dos EUA; uma análise da possibilidade de a China invadir a Ilha Pratas, controlada por Taiwan; Uma avaliação da situação militar da França no Sahel, com a Operação Barkhane; e um analista comenta os atritos entre a China e os países da comunidade de inteligência denominada Five Eyes.

China diz que exercícios navais EUA-Austrália são “flexão de músculos”

A Marinha dos EUA disse que o destroier USS Curtis Wilbur conduziu um “trânsito de rotina no Estreito de Taiwan” (Foto: AFP).

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês disse que os dois países deveriam “fazer coisas que conduzam à paz e estabilidade regional, em vez de flexionar seus músculos”.

Mídia da Austrália está sofrendo com escassez de informações de Defesa

O Ministro da Defesa da Austrália, Peter Dutton (Foto: Sam Mooy/Getty Images).

Funcionários da Defesa foram instruídos a manter suas respostas “tão breves e sucintas quanto possível”, limitando-as a três parágrafos, e evitar “entrevistas relacionadas à capacidade” revertendo à respostas escritas.

Primeiro-ministro australiano Scott Morrison diz que país manterá sua política para Taiwan

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison (Foto: AFP).

Comentário segue-se ao apelo do ministro das Relações Exteriores de Taiwan, Joseph Wu, para que a Austrália intensifique suas relações com a ilha em meio a ameaças da China; relações diplomáticas entre Pequim e Canberra estão numa escalada de tensões.

China fecha canal para diálogo diplomático em disputa com a Austrália

A China suspendeu um acordo econômico com a Austrália, piorando a já conturbada relação entre os países em meio a altercações sobre a pandemia do covid-19 e acusações de abusos de direitos humanos (Foto: Lukas Coch/AFP).

As tensões aumentaram desde que Canberra pediu uma investigação independente sobre as origens da pandemia do covid-19 e proibiu a Huawei de construir a rede 5G da Austrália; a China, maior parceiro comercial da Austrália, impôs tarifas ou interrompeu indústrias importantes.

Austrália vai gastar US$ 581 milhões em bases militares e exercícios conjuntos com os EUA

Soldados australianos praticam assalto anfíbio em exercícios militares conjuntos entre a Austrália e os EUA em 2017 (Foto: Reuters).

Anúncio vem depois do governo mencionar possibilidade de a Austrália se envolver em conflito por Taiwan. John Blaxland, da Australian National University, disse que há uma consciência crescente de que a Austrália não pode mais contar com os EUA para garantir sua segurança.

Buscas pelo KRI Nanggala são ampliadas

O KRI Nanggala navega nas águas de Tuban, Java Oriental, na Indonésia, em foto tirada de um helicóptero da Marinha da Indonésia em 6 de outubro de 2014 (Foto: Eric Ireng/AP).

Foi avistada uma mancha de óleo na região onde o Nanggala operava; últimas informações dizem que vários navios da Marinha da Indonésia estão participando das buscas, e as marinhas de outros países estão enviando recursos para auxiliar.

Indonésia busca submarino desaparecido com 53 tripulantes

O submarino KRI Nanggala-402 (Foto: Wikimedia Commons).

O submarino, com 53 tripulantes, conduzia exercícios com torpedos ao norte da ilha de Bali, mas perdeu contato e não transmitiu os resultados conforme esperado.

Rússia dará resposta adequada às sanções australianas, diz Ministério das Relações Exteriores

Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia (Foto: Serviço de imprensa do Ministério das Relações Exteriores da Rússia/Tass).

Zakharova ressaltou que o caminho escolhido por Canberra é o da degradação das relações russo-australianas.

A perspectiva estratégica da China

O presidente chinês Xi Jinping (Foto: Nicolas Asfour/Reuters).

Se um dia os EUA chegarem a enfrentar a China, será fundamental entender como o país enxerga sua posição estratégica, ou como a posição estratégica chinesa a obrigará a agir.