Radar Semanal 10/12/21

Militares das Forças Armadas da Índia desfilam na parada do Dia da Vitória na Praça Vermelha, em Moscou, marcando o 75º aniversário da vitória na Segunda Guerra Mundial (Ramil Sitdikov/Host Photo Agency/Getty Images).

**Exclusivo Assinantes** Preparativos da Rússia sinalizam que Moscou reconhece o perigo de uma área fortificada em sua fronteira; Relações russo-indianas são tradicionalmente boas, mas os laços econômicos estão estagnados e suspeitas mútuas vêm se insinuando; A visão da ministra das Forças Armadas da França sobre os desafios tecnológicos que seu país vem superando; Interesses conflitantes dificultam que Israel e Irã encontrem uma solução diplomática para seu impasse.

Radar Semanal 19/11/21

Carros de combate do Corpo de Fuzileiros Navais americano em deslocamento perto de Seul, na Coréia (Imagem de arquivo do US Naval Institute).

**Exclusivo Assinantes** Estudo alerta que os EUA precisam gastar mais em treinamento profissional e infraestrutura de manufatura; Negociações do acordo nuclear com o Irã provavelmente serão difíceis; Crescente capacidade hipersônica da China, faz Marinha americana acelerar programas; US Marines vão se desfazer de blindados pesados, decisão que poderão lamentar no futuro.

Por que a Austrália rejeitou a França

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, discutiram o projeto do submarino da Austrália durante a XIII Cúpula do G20 realizada em Buenos Aires, Argentina, em novembro/dezembro de 2018 (Foto: Lukas Coch/AAP).

As circunstâncias mudaram desde 2016 e o apoio para a frota de submarinos da Marinha australiana se tornou uma questão de interesse nacional fundamental. Portanto, a decisão da Austrália foi a respeito de geopolítica, e não apenas um contrato comercial.

O “AUKUS” e as reações na França e na China

Um helicóptero MH-60R conduz um exercício antissubmarino com o HMAS Rankin (classe Collins) da Marinha australiana, na área de exercícios da Austrália Oriental (Foto: Royal Australian Navy).

Novo pacto militar com os EUA e o Reino Unido desfaz programa de compra de submarinos franceses pela Austrália; a França classifica a decisão de “lamentável”, e a China diz que o acordo “prejudica a paz regional”.

O acordo econômico China-Irã e suas consequências no campo militar

Aeronaves militares revisadas entregues à Força Aérea do Irã em 20 de fevereiro de 2020 (Foto: MEHR).

O acordo bilionário firmado entre a China e o Irã, e o consequente estreitamento dos laços entre os países, deverá abrir caminho para contratos de exportação de aeronaves chinesas ao país persa, além de oportunidades nos mercados de aviação militar do Oriente Médio.

Irã afirma que não fornecerá imagens de usinas nucleares à AIEA após o término do acordo

Trabalhador em uma bicicleta passa em frente ao prédio do reator da usina nuclear de Bushehr, no Irã, em 2010 (Foto: Majid Asgaripour/AP).

Mohammad Baqer Qalibaf, presidente do parlamento do Irã, disse que o acordo expirou e que “as informações registradas nunca serão fornecidas à Agência Internacional de Energia Atômica”.

Perfil: Ebrahim Raisi, eleito presidente do Irã

Ebrahim Raisi, eleito presidente do Irã (Foto: Atta Kenare/AFP).

O atual chefe do Poder Judiciário iraniano, o conservador Ebrahim Raisi, foi eleito próximo presidente do Irã em um momento extremamente crítico para o país. Quem é Raisi e quais são suas ideias e posições?

Vigilância nuclear da ONU alerta sobre Coréia do Norte e Irã

Foto: Alex Halada/AFP/Getty Images.

O diretor da AIEA, Rafael Grossi, disse que Pyongyang pode estar reprocessando plutônio e avisa que a falta de conformidade do Irã está prejudicando as perspectivas de resgate do JCPOA.

Putin assina lei tirando a Rússia do tratado Open Skies de controle de armas

O presidente russo, Vladimir Putin, discursa durante uma sessão do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, em 4 de junho de 2021 (Foto: Anatoly Maltsev/Reuters).

A Rússia esperava que Putin e Biden pudessem discutir o tratado no final deste mês em uma cúpula em Genebra, mas Washington informou a Moscou em maio que não voltaria a entrar no pacto.

Khamenei diz que o Irã quer ação, não promessas, para reviver acordo nuclear

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, fez um discurso televisionado no Irã, em 4 de junho de 2021 (Site oficial de Khamenei/via Reuters).

Na quarta-feira o enviado da União Europeia disse que acredita que um acordo será fechado na próxima rodada, mas outros diplomatas disseram que as decisões mais difíceis ainda estão pendentes.