A Peste Negra e o surgimento da Guerra Biológica

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Jani Beg e o cerco a Caffa em 1345 (Ilustração produzida pelo autor).

Jani Beg e o cerco a Caffa em 1345 (Ilustração produzida pelo autor).

Armas biológicas são micro-organismos intencionalmente vetorados com objetivos bélicos para provocar doença e morte, atingindo não apenas seres humanos, mas também animais e plantações. São também usadas como forma de guerra psicológica, causando pânico em uma população, promovendo a insegurança e gerando, principalmente, grandes prejuízos econômicos. A Guerra Biológica foi inaugurada em 1345, no cerco da cidade de Caffa, no Mar Negro. A ação acabou desencadeando a maior e mais mortal pandemia da história da humanidade.


A Peste Negra foi uma pandemia de peste bubônica que atingiu a Ásia, a Europa e a África entre 1346 e 1353. É considerada a pandemia mais letal registrada na história da humanidade, tendo causado a morte estimada entre 75 e 200 milhões de habitantes em três continentes. Em apenas quatro anos, a Peste Negra dizimou cerca de metade da população, especialmente na Ásia e Europa. A praga gerou uma série de convulsões religiosas, sociais e econômicas, com efeitos profundos no curso de toda a história europeia. A infecção é causada pela bactéria yersinia pestis, que usa como vetor de transmissão as pulgas que parasitam os ratos negros.

A origem da Peste Negra é controversa, mas as fontes históricas indicam que o primeiro surto aconteceu em 1337, na Ásia Central, mais precisamente na região de Issyk-Kul, no atual Quirguistão. Tudo indica que a doença veio da China e se disseminou pela Rota da Seda por meio dos mercadores e das tropas do exército mongol. Issyk-Kul fazia parte da movimentada Rota da Seda, situando-se no meio do caminho entre a China e o Mar Mediterrâneo. A partir daí a peste espalhou para o Leste e para o Ocidente. A porta de entrada na Europa foi a cidade de Caffa, às margens do Mar Negro, na Península da Crimeia. Atual Teodósia, Caffa era na Idade Média um importante porto comercial, uma cidade fortificada e controlada pelos mercadores de Gênova e Veneza.


LIVRO RECOMENDADO:

O coração do mundo: Uma nova história universal a partir da rota da seda: o encontro do oriente com o ocidente

  • Peter Frankopan (Autor)
  • Em português
  • Kindle ou Capa comum

Depois de assassinar seus irmãos, em 1342, Jani Beg, um descendente de Genghis Khan, chegou ao poder na Horda do Ouro, um dos quatro canatos originários da fragmentação do vasto Império Mongol. Decidido resolver à força uma questão religiosa e, ao mesmo tempo, expandir seus domínios, Jani Beg organizou um exército para conquistar Caffa em 1343. A invasão foi repelida por uma força militar enviada pelos italianos. Dois anos depois, Jani Beg voltou com reforços e novamente sitiou Caffa. Contudo, dessa vez, uma epidemia de Peste Negra atingiu suas tropas. Com seu exército debilitado, o líder mongol teve uma ideia original: lançou os cadáveres dos soldados mortos pela doença sobre as muralhas da cidade usando uma catapulta. Certamente ele já sabia como a peste era transmitida, em contato com material infectado. Jani Beg pretendia disseminar a doença no inimigo e, assim, enfraquecê-lo ou mesmo castigá-lo por sua tenaz resistência.

Quando os corpos pestilentos começaram a cair dentro das muralhas de Caffa, sua população sitiada entrou em pânico. Os cadáveres em putrefação se acumularam e o odor fétido tornou-se insuportável. Logo, tiveram que ser removidos para serem lançados no mar ou queimados. Em pouco tempo os habitantes foram acometidos pela terrível doença. Os comerciantes italianos apavorados fugiram, levando a peste a bordo de seus navios para Itália, de onde se espalhou para toda a Europa provocando a pandemia. Por fim, Jani Beg não conseguiu conquistar Caffa devido às grandes perdas provocadas pela peste em seu exército. O assédio mongol terminou em 1347, após duras negociações de paz, mas, à essa altura, a praga já avançara por toda a Europa. O episódio do cerco de Caffa registrou o primeiro emprego de uma arma biológica na história.

Referências

AMITAI, Reuven; MORGAN, David Orrin (Ed.). O Império Mongol e seu legado. Brill, 1999.

BENEDICTOW, Ole Jørgen; BENEDICTOW, Ole L. The Black Death, 1346-1353: the complete history. Boydell & Brewer, 2004.

KALU, Micheal C. Birth of the Black Plague: The Mongol Siege on Caffa. War History Online. 28 jul. 2018. Disponível em: https://www.warhistoryonline.com/instant-articles/mongol-siege-caffa-black-plague.html.

KOLODZIEJCZYK, Dariusz. The Crimean Khanate and Poland-Lithuania: International Diplomacy on the European Periphery (15th-18th Century), A Study of Peace Treaties Followed by an Annotated Edition of Relevant Documents. Brill, 2011.

WHEELIS, Mark. Biological warfare at the 1346 siege of Caffa. Emerging infectious diseases, v. 8, n. 9, p. 971, 2002.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a RússiaCurso de InteligênciaCurso sobre a ChinaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também