Tropas israelenses se acumulam ao longo da fronteira de Gaza em meio a ataques aéreos e com foguetes

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Membros da força de segurança israelense perto de um carro da polícia em chamas durante confrontos entre a polícia israelense e membros da minoria árabe na cidade árabe-judaica de Lod, Israel, 12 de maio de 2021 (Foto: Ammar Awad/Reuters).

Membros da força de segurança israelense perto de um carro da polícia em chamas durante confrontos entre a polícia israelense e membros da minoria árabe na cidade árabe-judaica de Lod, Israel, 12 de maio de 2021 (Foto: Ammar Awad/Reuters).

Tropas israelenses se concentraram na fronteira de Gaza nesta quinta-feira e militantes palestinos atacaram Israel com foguetes em intensas hostilidades que causam preocupação internacional e desencadearam confrontos entre judeus e árabes em Israel.

Os dias de violência entre judeus israelenses e a minoria árabe do país pioraram da noite para o dia, com sinagogas atacadas e combates estourando nas ruas de algumas comunidades.

Com a preocupação crescente de que a violência que estourou na segunda-feira possa sair do controle, os Estados Unidos estão enviando um representante, Hady Amr, para a região. Mas os esforços para acabar com as piores hostilidades em anos parecem não ter feito nenhum progresso.

Em ataques aéreos contra Gaza, Israel atingiu um prédio residencial de seis andares na Cidade de Gaza que disse pertencer ao Hamas, que controla o enclave palestino.

Pelo menos 83 pessoas foram mortas em Gaza desde a escalada da violência na segunda-feira, disseram médicos, sobrecarregando ainda mais os hospitais que já estavam sob forte pressão durante a pandemia covid-19.

Nos últimos ataques de foguetes palestinos, um foguete atingiu um prédio perto da capital comercial de Israel, Tel Aviv, ferindo cinco israelenses, disse a polícia. Sirenes soaram em cidades em todo o sul do país, fazendo com que milhares de pessoas corressem para os abrigos.


LIVRO RECOMENDADO

Os israelenses: Pessoas comuns em uma terra extraordinária

  • Donna Rosenthal (Autor)
  • Em português
  • Capa comum

Israel preparou tropas de combate ao longo da fronteira de Gaza e estava em “vários estágios de preparação de operações terrestres”, disse um porta-voz militar, em um movimento que lembraria incursões semelhantes durante as guerras Israel-Gaza em 2014 e 2008-2009.

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que espera que os combates “acabem mais cedo ou mais tarde”. Um ministro britânico exortou Israel e o Hamas a “dar um passo para trás” na escalada.

CONFRONTAÇÃO “ABERTA”

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, prometeu “continuar agindo para atacar as capacidades militares do Hamas” e de outros grupos de Gaza.

Na quarta-feira, as forças israelenses mataram um comandante do Hamas e bombardearam vários prédios, incluindo arranha-céus e um banco, que Israel disse estar ligado às atividades da facção. O Hamas sinalizou desafio, com seu líder, Ismail Haniyeh, dizendo: “O confronto com o inimigo é aberto.”

Israel lançou sua ofensiva depois que o Hamas disparou foguetes contra Jerusalém e Tel Aviv em retaliação aos confrontos da polícia israelense com os palestinos perto da mesquita Al Aqsa em Jerusalém Oriental durante o mês de jejum muçulmano do Ramadã.

A Turquia, cuja hospedagem de líderes do Hamas em Istambul nos últimos anos contribuiu para um desentendimento com Israel, pediu aos países muçulmanos que mostrem uma posição unida e clara sobre a violência entre Israel e Gaza.

Nos combates dentro de Israel, onde alguns dos 21% da minoria árabe montaram violentos protestos pró-palestinos, os ataques de judeus contra árabes que passavam em áreas de etnia mista pioraram.

Mais de 150 prisões foram feitas durante a noite em Lod e nas cidades árabes no norte de Israel, disse a polícia. O presidente israelense Reuven Rivlin pediu o fim “desta loucura”.


LIVRO RECOMENDADO

Filho do Hamas

  • Mosab Hassan Yousef (Autor)
  • Em português
  • Capa comum

“Estamos ameaçados por foguetes que estão sendo lançados contra nossos cidadãos e ruas, e estamos nos ocupando com uma guerra civil sem sentido entre nós”, disse o presidente, cujo papel é em grande parte cerimonial.

VOOS CANCELADOS

Várias companhias aéreas estrangeiras cancelaram voos para Israel por causa dos distúrbios. As mortes em Israel incluem um soldado morto enquanto patrulhava a fronteira de Gaza e seis civis, incluindo duas crianças e um trabalhador indiano, disseram autoridades médicas.

O ministério da saúde de Gaza disse que 17 das pessoas mortas no enclave eram crianças e sete eram mulheres. Os militares israelenses disseram que cerca de 400 dos 1.600 foguetes disparados pelas facções de Gaza ficaram aquém, podendo causar algumas mortes de civis palestinos.

O conflito levou ao congelamento das negociações dos oponentes de Netanyahu sobre a formação de uma coalizão governamental para destituí-lo após a eleição inconclusiva de Israel em 23 de março.

Embora os últimos problemas em Jerusalém tenham sido o gatilho imediato para as hostilidades, os palestinos estão frustrados com os reveses em suas aspirações por um estado independente nos últimos anos.

Isso inclui o reconhecimento de Washington da disputada Jerusalém como capital de Israel, um plano dos EUA para encerrar o conflito que eles consideravam favorável a Israel e à construção de assentamentos.

Fonte: Reuters.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

V-UnitCanal do Velho GeneralHackerSecPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisPrograma Café com Defesa

Veja também