Almirante diz que navios da classe Zumwalt serão os primeiros armados com mísseis hipersônicos

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O contratorpedeiro furtivo classe Zumwalt USS Michael Monsoor (Foto: US Navy).

O contratorpedeiro furtivo classe Zumwalt USS Michael Monsoor (Foto: US Navy).

Os primeiros navios de guerra da Marinha dos Estados Unidos a serem armados com mísseis hipersônicos serão os contratorpedeiros furtivos da classe Zumwalt, disse o comandante da força, de acordo com o USNI News.

Embora se esperasse que a Marinha instalasse armamento hipersônico primeiro em seus submarinos de mísseis de cruzeiro, o Chefe de Operações Navais, almirante Mike Gilday, disse em um evento do Centro de Avaliações Estratégicas e Orçamentárias na terça-feira que o serviço pretendia começar com os classe Zumwalt.

“Nosso maior esforço de P&D está na hipersônica – entregar essa capacidade em 2025 em um navio de superfície e depois em submarinos Block V [classe Virginia]”, disse Gilday, acrescentando que o envio de armamento hipersônico a bordo dos contratorpedeiros classe Zumwalt seria um “movimento importante” para transformar esses navios em plataformas de ataque.

Os contratorpedeiros da classe Zumwalt foram projetados para lutar em águas litorâneas, realizando ataques a terra e missões de apoio de fogo naval. Sua arma principal seria o Sistema de Canhão Avançado, que consiste em um par de canhões de 155 mm.

Mas uma redução no tamanho da classe de algumas dezenas de navios para apenas três fez com que o custo do Projétil de Ataque Terrestre de Longo Alcance saltasse para quase US$ 1 milhão por tiro, forçando a Marinha a reavaliar seus armamentos e missões.

Os três contratorpedeiros da classe Zumwalt – o USS Zumwalt, o USS Michael Monsoor e o futuro USS Lyndon B. Johnson – devem ser plataformas de guerra de superfície de águas azuis e de ataque naval.

O míssil hipersônico que a US Navy está desenvolvendo é a arma Conventional Prompt Strike, que usa o Common Hypersonic Glide Body que o US Army e a US Navy estão desenvolvendo em conjunto. Os militares testaram com sucesso o corpo planador em março de 2020.



Marinha dos Estados Unidos

Um planador hipersônico é a parte de uma arma hipersônica que carrega a ogiva. Lançado usando um foguete propulsor convencional, o planador eventualmente se separa do foguete e continua em direção ao alvo. Após a separação, o planador não é mais capaz de acelerar, mas retém a capacidade de manobra.

Embora as armas hipersônicas tenham a capacidade de voar a velocidades de pelo menos Mach 5, é sua capacidade de manobra que as torna particularmente perigosas. Os sistemas modernos de defesa aérea e antimísseis não são projetados para conter esse tipo de ameaça.

Como essas armas são difíceis de derrotar, os mísseis hipersônicos se tornaram uma área-chave de competição estratégica entre os EUA e seus rivais China e Rússia.

Antes que a US Navy possa equipar seus destróieres classe Zumwalt com essas armas, ela precisa não apenas terminar de desenvolver-la, mas também descobrir como integrá-la aos contratorpedeiros, que não têm células de sistema de lançamento vertical grandes o suficiente para eles.

A US Navy enviou uma solicitação em meados de março pedindo aos parceiros da indústria soluções sobre como os classe Zumwalt poderiam ser reconfigurados para transportar os mísseis hipersônicos.

Falando na terça-feira, Gilday também expressou interesse em usar os recursos substanciais de geração de energia dos destróieres classe Zumwalt para armamento de energia direcionada para defesa contra ameaças emergentes.

Fonte: Business Insider.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a ChinaCurso de InteligênciaCurso sobre a RússiaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também