Reparo do submersível AS-31 da Rússia podem levar ate quatro anos

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Foto: Kremlin.

Foto: Kremlin.

O trabalho de reparo do submersível nuclear AS-31, danificado em um incêndio mortal em 1º de julho de 2019, pode levar até quatro anos, disse uma fonte do complexo industrial militar russo à agência de notícias TASS nesta segunda-feira. “Os trabalhos de reparo do submersível Losharik podem levar até quatro anos”, disse a fonte. “O submersível será então devolvido ao seu dever de combate.”

A assessoria de imprensa do Estaleiro Sevmash (parte da United Shipbuilding Corporation), onde o submersível deverá passar por reparos, se absteve de comentar as informações da fonte.

O incêndio no submersível de pesquisa militar AS-31 começou em 1º de julho, matando 14 oficiais submarinistas. Quatro deles foram condecorados postumamente com o título de Herói da Rússia e os outros dez com a Ordem da Coragem.

Uma explosão e uma bateria de lítio com defeito foram citadas entre as prováveis ​​causas do incidente. No início de novembro, o submersível foi entregue ao Estaleiro Zvyozdochka em Severodvinsk, no norte da região de Arkhangelsk. O Losharik foi rebocado até a instalação para reparos no outono de 2019.

O número do projeto e as características de desempenho da estação submersível de primeira classe AS-31 com energia nuclear não foram divulgados. Os dados disponíveis indicam que o submersível não carrega armamento e pode mergulhar a grandes profundidades. O submarino, seriamente danificado pelo incêndio no Mar de Barents, foi apelidado de Losharik devido à forma específica do casco como de várias esferas de titânio conectadas.

Fonte: Agência Tass.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também