Radar Semanal 21/01/22

USS Carl Vinson operando no Mar da China Meridional, abril de 2017 (Matt Brown/Reuters).

**Exclusivo Assinantes** A OTAN é grande e provocativa demais; Os EUA tem mais rivais do que conseguem lidar; A política externa americana joga seus adversários nas mãos uns dos outros; As ambições superdimensionadas das Big Techs.

O futuro do Conceito Estratégico da OTAN

Bundesministerium der Verteidigung/Ministério da Defesa da Alemanha.

O debate que leva a novos documentos é tão importante quanto os próprios documentos.

Radar Semanal 17/12/21

O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin (dir.), recebe o ministro da Defesa da Lituânia, Arvydas Anusauskas (esq.), no Pentágono, em 13 de dezembro de 2021 em Arlington, Virgínia (Alex Wong/Getty Images).

**Exclusivo Assinantes** Evitar a devastação da Ucrânia e o risco de guerra com a Rússia requer abordar a expansão da OTAN; Militarização deixou de mobilizar os russos; Chefe da Defesa lituano diz que EUA devem agir para punir a Rússia, sem esperar uma invasão à Ucrânia; Evitar PsyOps começa entendendo táticas comuns: distorcer, distrair, rejeitar, negar e desanimar.

Armênia, Azerbaijão e o Corredor Zangezur

Trem passa pelas margens do rio Araz perto de Julfa, Nakhichevan, região do Corredor Zangezur (Uwe Seidner/Shutterstock).

O apoio a mudança de fronteiras com base apenas na superioridade militar pode potencialmente fazer com que muitos acordos enfrentem problemas.

Ocidente e Rússia se chocam na Ucrânia

Outside the Beltway.

A Ucrânia está no centro de uma crise que ameaça escalar para um confronto militar entre ucranianos e russos, com risco de transbordamento para outros países, o que seria gravíssimo para a estabilidade da Europa e do mundo.

Radar Semanal 12/11/21

ManiAkaRisk.

**Exclusivo Assinantes** Ao deixar o Afeganistão, Reino Unido abandonou compromissos de longo prazo; Potências nucleares apoiam TNP, mas continuam a atualizar seus arsenais nucleares; Procurador-geral do México contradiz afirmação de Israel sobre o software-espião Pegasus; Concentração de imigrantes na fronteira da Bielorrússia pressiona UE.

Infográfico: panorama do Gás Natural na Europa

Unidade de Tratamento de Gás nº 3 no campo Chayandinskoye da Gazprom (Foto: Gazprom).

**Exclusivo Assinantes** Infográfico: a dependência de importação de energia na Europa nunca foi tão alta.

O caso do submarino franco-australiano pode afundar a estratégia indo-pacífica da UE?

Bandeiras da União Europeia e da Austrália (Foto: AIIA).

**Exclusivo Assinantes** A decisão da Austrália de rescindir o contrato de A$ 90 bilhões com a França para forjar uma nova aliança com os EUA e o Reino Unido foi um choque para a Europa. Ironicamente, o anúncio veio poucas horas antes de a UE lançar a sua própria Estratégia Indo-Pacífico.

O acordo Estados Unidos–Austrália e os limites da estratégia anti-China dos EUA

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o então primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, no convés do HMAS Waller, um submarino classe Collins da Marinha Real da Austrália, em Sydney, maio de 2018 (Foto: Brendan Esposito/AFP).

A União Europeia quer um caminho intermediário entre China e EUA, e o anúncio AUKUS, com o cancelamento do acordo australiano com a França, mostra que isso será difícil. A UE geralmente considera os EUA seu aliado mais próximo, mas o bloco tem laços econômicos profundos com a China, tanto como mercado de exportação quanto como fornecedor.

Com o AUKUS, os anglo-saxões deixaram os europeus em uma sinuca

Montagem com imagens Shutterstock/PNGWing.

*Exclusivo Assinantes* A diplomacia da União Europeia é movida pela emoção e por uma compreensão superficial das políticas dos Estados Unidos e do Reino Unido. Os líderes europeus subestimaram Boris Johnson e superestimaram Joe Biden, uma combinação ruim.