Radar Semanal 02/07/21

Meninas ensaiam na Praça Tiananmen, Pequim, antes do desfile comemorativo do 100º aniversário da fundação do Partido Comunista Chinês (Foto: Foreign Policy).

Nesta edição do Radar, trazemos uma matéria sobre a realização de jogos de guerra conjuntos entre os EUA e o Japão, em preparação para um possível confronto com a China por Taiwan; um artigo explana como a OTAN vem evoluindo sua concepção sobre ataques cibernéticos; uma avaliação da relação entre a União Europeia e a Turquia; e uma análise mostra que o partido chinês mantém uma consistência nacionalista ao longo de seus 100 anos de existência.

Vigília por Tiananmen em Hong Kong: polícia chinesa bloqueia tradicional praça Victoria Park

Polícia faz revistas em transeuntes no local (Foto: Kathleen Magramo/SCMP).

Residentes tentam manter a tradição viva, com um homem exibindo um jornal de 1989 cobrindo a repressão; Outros tentaram se aproximar do parque bloqueado para “sentir a atmosfera” ou se reunir em igrejas.

Hong Kong proíbe evento anual pelo massacre na Praça da Paz Celestial

Mulher segura uma vela durante a cerimônia pelas vítimas da Praça da Paz Celestial durante uma vigília em Hong Kong em 4 de junho de 2016 (Foto: Albert Bonsfills/Anadolu).

Autoridades locais apoiadas pela China proibiram o evento em homenagem às vítimas do massacre de Pequim em 1989 pela segunda vez devido à pandemia covid-19.

Vídeo 629 CANAL ARTE DA GUERRA – Massacre na Praça da Paz Celestial: 30 Anos

Passadas três décadas, ainda é desconhecido o número de pessoas mortas pelo Exército Chinês.

A Praça da Paz Celestial: 30 anos depois

No dia 4 de junho de 1989 a Praça da Paz Celestial, em Pequim, foi palco de uma das repressões mais brutais da história recente.