A visita de Lavrov ao Oriente Médio

Embora seja nebuloso – e arriscado – tentar adivinhar os rumos da política dos Estados Unidos para o Oriente Médio, não há dúvida de que os relacionamentos estão mudando. A visita de Sergei Lavrov ao Oriente Médio, na semana passada, mostra que Moscou está atenta, e procura capitalizar sobre as mudanças de rumo implementadas por Biden.

Bilionários, democracia e poder: Vladimir Putin e os oligarcas da Rússia

Após a queda da União Soviética, a Rússia de Boris Yeltsin foi dominada por um grupo de bilionários que ficou conhecido como “os oligarcas”. Por meio de esquemas escusos, eles acumularam fortunas gigantescas e controlaram os meios de comunicação e a economia do país. Quando ascendeu ao poder, Vladimir Putin pôs fim a essa geração de bilionários que controlavam o estado – e substituiu-os por outra, sob seu controle.

O avanço geopolítico da Rússia de Vladimir Putin

Com o fim da URSS e a queda do Pacto de Varsóvia, no início dos anos 1990, a Rússia perdeu os “estados-tampão” que lhe traziam segurança; Vladimir Putin, em discurso proferido em 2005, afirmou que essa foi a maior catástrofe geopolítica da história da Rússia. Desde o início de suas gestões –como primeiro-ministro e como presidente –, ele vem trabalhando para restabelecer os “amortecedores estratégicos” perdidos.

A busca da Rússia por profundidade estratégica

Profundidade estratégica sempre foi fundamental para a Rússia e sua importância está gravada de maneira indelével na memória do país. Nos últimos anos, o presidente russo, Vladimir Putin, vem realizando diversos movimentos estratégicos no sentido de recuperar o “amortecedor” perdido com a queda da URSS.

Fim da guerra (por enquanto) em Nagorno Karabakh

Uma conjunção de fatores levou o Azerbaijão a se sentir livre para atuar militarmente no Nagorno Karabakh, numa demonstração prática da máxima de Clausewitz. Ao mesmo tempo, o conflito pode indicar a nova realidade de um mundo multipolarizado, no qual a falta de freios impostos por potências hegemônicas ou organismos multilaterais abre espaço para que novas potências globais ou regionais atuem na defesa de seus interesses.

Conflito Armênia-Azerbaijão: a Índia observa e diz que apenas drones não vencem guerras

O marechal-do-ar indiano Rakesh Kumar Singh Bhadauria disse que a Índia tem capacidade semelhante, referindo-se aos drones suicidas Harop/Harpy de origem israelense, mas observa que UAV são muito suscetíveis à ação inimiga e devem fazer parte de um mix mais amplo de armas em qualquer conflito.

Guerra no Cáucaso

Armênia e Azerbaijão iniciaram um conflito de alta intensidade pela região do Nagorno-Karabakh. O resultado final dependerá em grande medida do posicionamento da Turquia, que apoia o Azerbaijão, e da Rússia, que supostamente é aliada da Armênia.

Armênia e Azerbaijão: cem anos de rivalidade

Região criada pela União Soviética nos anos 1920, o Nagorno-Karabakh gerou tensões entre Armênia e Azerbaijão, mantidas sob controle durante o regime. Com a queda da URSS, os países travaram uma guerra sangrenta pela região que terminou em 1994, mas desde então os atritos na região são constantes.

Perfil: Alexandr Dugin, ideólogo de Putin?

Este artigo procura traçar um breve perfil de Alexandr Dugin, teórico e analista político russo cujo trabalho e ideias vem despertando interesse e obtendo ampla influência intelectual, sendo até mesmo identificado por alguns como influenciador da política russa sob o atual governo de Vladimir Putin.

O futuro da Bielorrússia

A Bielorrússia é o caminho mais curto entre a Europa ocidental e Moscou, e por isso, como mostra a história, pode facilmente se transformar em uma fonte de preocupação para a Rússia. Se por um lado a Ucrânia é um exemplo recente da disposição russa em uma possível intervenção, por outro a população bielorrussa é, cultural e historicamente, muito mais próxima dos russos, o que poderia sugerir uma solução menos traumática.