Radar Semanal 04/06/2021

Artigos recentes da internet na China alegam que o bombardeio da OTAN em 1999 contra a embaixada de Pequim na Iugoslávia foi intencional, alegando que a embaixada abrigava secretamente os restos mortais de um caça stealth americano F-117 Nighthawk abatido na região semanas antes (Foto: Reuters).

No Radar desta semana, um artigo questiona se não há interesses escusos por trás das críticas ao F-35; uma análise geopolítica dos interesses no Chifre da África; uma avaliação do recente pedido de desculpas francês pelo genocídio em Ruanda; e uma curiosa história, talvez incrível demais, sobre qual seria a verdadeira razão do bombardeio da embaixada chinesa na Iugoslávia em 1999.

Macron busca perdão pelo genocídio de Ruanda

O presidente francês Emmanuel Macron em coletiva de imprensa durante cúpula da UE em Bruxelas, Bélgica, em 25 de maio de 2021 (Foto: John Thys/Reuters).

Relatório de Ruanda sobre o genocídio no país em 1994 concluiu que oficiais franceses armaram, aconselharam, treinaram, equiparam e protegeram o governo ruandês da época, acrescentando que a França encobriu seu papel por anos.