Radar Semanal 07/05/2021

O submarino JS Soryu (SS-501) da Força de Autodefesa Marítima do Japão chega a Guam para uma visita ao porto (Foto: Lauren Spaziano/US Navy).

Nesta edição do Radar, a China está em foco: uma avaliação sobre as possibilidades de defesa de Taiwan; uma análise sobre a aproximação, preocupante para os EUA, entre a China e a Rússia; e as possíveis atividades dos submarinos japoneses num eventual conflito com a China. E, para quebrar um pouco o assunto China, um artigo especula sobre a retirada dos EUA no Afeganistão e possíveis implicações para o Reino Unido e a OTAN.

Radar Semanal 30/04/2021

Porta-aviões chinês Liaoning (Foto: PLAN/CGTN).

Nesta edição do Radar: em meio a uma intensificação da pandemia, a Índia desconfia da ajuda chinesa; uma análise sobre a possível participação de Israel no ataque à instalação nuclear iraniana de Natanz e sua oposição ao JCPOA; uma análise dos desdobramentos conjuntos de porta-aviões; e um balanço da Guerra do Afeganistão.

Caças F-35B dos US Marines são implantados no porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth

Foto: Military Network.

Caças F-35B do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA voaram 5.000 milhas do Arizona ao Reino Unido para embarcar no porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth, na primeira implantação de um esquadrão completo de F-35B dos EUA a bordo de um porta-aviões britânico.

William Hague: forças britânicas podem ser enviadas para impedir países de derrubar florestas tropicais e perfurar poços de petróleo

William Hague (Foto: The Right Address).

Ex-ministro das Relações Exteriores britânico diz que foco das forças armadas do país pode mudar para proteção do meio ambiente e isso pode incluir impedir países de derrubar florestas tropicais.

Gastos militares globais atingem o nível mais alto desde 1988

Fuzileiros navais dos EUA com veículos de assalto anfíbios participam de operação de desembarque durante o exercício Baltops 2018 (Foto: AP).

Despesas militares totalizam quase US$ 2 trilhões em 2020, respondendo por 2,4% do PIB global.

O porta-aviões britânico Queen Elizabeth visitará Japão e Coreia do Sul em sua primeira implantação

O HMS Queen Elizabeth (Foto: Royal Navy).

Além do Queen Elizabeth, dois destroieres, duas fragatas e dois navios de apoio formam o grupo de ataque que navegará pelo contestado Mar do Sul da China.

Unidade 29155 da inteligência militar russa, especializada em “sabotagem e assassinato”

Investigação do envenenamento de Sergei Skripal na Grã-Bretanha em 2018 (Foto: Chris J Ratcliffe/Getty Images).

Embora os fracassos da unidade pareçam pouco profissionais, essas falhas significam pouco, já que não se sabe quantas outras missões foram concluídas com sucesso.

Navios de guerra britânicos irão ao Mar Negro em maio em meio às tensões Ucrânia-Rússia

O HMS Dragon, destroier Type 45 da Marinha Real (Foto: Navy Lookout).

Jatos F-35B Lightning da RAF e helicópteros antissubmarino Merlin estarão em prontidão no HMS Queen Elizabeth para apoiar os navios no Mar Negro.

Chefe militar italiano imagina caça Tempest caçando mísseis

Visitante sentado em maquete do jato de combate Tempest durante o Farnborough Airshow de 2018 (Foto: Tolga Akmen/AFP/Getty Images).

Com o Tempest, “haverá energia abundante disponível e eu não descarto o uso de energia direcionada contra mísseis hipersônicos”, disse o general italiano.

Radar Semanal 09/04/2021

O HMS Queen Elizabeth operando no Atlântico (Foto: John Philip Wagner/US Navy).

Análise de uma crescente crise nas relações civis-militares nos EUA que o autor considera que podem colocar em risco a segurança nacional americana; Peter Thiel, bilionário investidor americano, diz que o bitcoin pode ser uma arma financeira da China e sugere banir o TikTok dos EUA; a nova estratégia da Grã-Bretanha sob uma perspectiva naval; e uma análise da visita de Sergey Lavrov, MRE da Rússia, ao Oriente Médio no mês passado.