Taiwan relata a maior incursão da Força Aérea chinesa

Caças Shenyang J-16 (Foto: PLAAF).

Foi a maior incursão chinesa na ADIZ de Taiwan desde o recorde anterior de 25 aeronaves relatado em 12 de abril passado.

Relações China-OTAN: Pequim promete agir após alegação de “desafio sistêmico”, mas diz que não é uma ameaça

Líderes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) posam para foto de grupo na sede da organização em Bruxelas, na Bélgica, na segunda-feira (Foto: Xinhua).

Declaração da missão da China na União Europeia diz que caracterização da OTAN é “calúnia” e “julgamento equivocado”. Pequim afirma que seu orçamento militar, uma fração dos membros da OTAN, prova que não representa uma ameaça à segurança ocidental.

Putin: responsabilizar a Rússia pela posição da China sobre armas nucleares “é ridículo”

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante uma reunião de videoconferência na residência Novo-Ogaryovo em Moscou, Rússia, 24 de dezembro de 2020 (Foto: Mikhail Klimentyev/Reuters).

O presidente russo destacou que a Rússia não considerou temíveis as crescentes capacidades de defesa da China, porque sua própria suficiência de defesa está em um nível muito alto.

Radar Semanal 11/06/21

Exercício de fogo real da Marinha chinesa no Mar da China Oriental em agosto de 2020 (Foto: Navy.81.cn).

O Radar desta semana traz uma advertência da DW, afirmando que uma corrida armamentista de IA já está em andamento; em artigo da Anadolu, analista afirma que Israel está usando os escassos recursos hídricos da região como arma política; uma análise da Foreign Affairs diz que os EUA não estão preparados para uma guerra com a China; e reportagem do SCMP avalia que uma guerra China-EUA poderia começar devido a um acidente.

O Leviatã, submarino de ataque israelense

O Leviatã e um segundo submarino da marinha israelense são vistos durante manobra naval no Mediterrâneo, na costa de Haifa, em 9 de junho de 2021 (Foto: Amir Cohen/Reuters).

A frota de cinco submarinos israelenses classe Dolphin, com um sexto em construção, é envolta em sigilo e especulações. Movidas a motores diesel-elétricos e com tripulação básica de 30 militares, alguns analistas sugerem que essas embarcações são capazes de lançar mísseis nucleares – que Israel não nega e nem confirma possuir.

Resignado com um renascimento do acordo nuclear, Golfo se envolve com o Irã

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, fez um discurso televisionado no Irã, em 4 de junho de 2021 (Site oficial de Khamenei/via Reuters).

Autoridades do Golfo temem não ter a mesma influência no governo Biden que tinham com Trump; segundo analista, os países da região acham que os EUA podem voltar ao acordo nuclear, mas precisam que todos levem em consideração as preocupações com a segurança regional.

Vigilância nuclear da ONU alerta sobre Coréia do Norte e Irã

Foto: Alex Halada/AFP/Getty Images.

O diretor da AIEA, Rafael Grossi, disse que Pyongyang pode estar reprocessando plutônio e avisa que a falta de conformidade do Irã está prejudicando as perspectivas de resgate do JCPOA.

Putin assina lei tirando a Rússia do tratado Open Skies de controle de armas

O presidente russo, Vladimir Putin, discursa durante uma sessão do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, em 4 de junho de 2021 (Foto: Anatoly Maltsev/Reuters).

A Rússia esperava que Putin e Biden pudessem discutir o tratado no final deste mês em uma cúpula em Genebra, mas Washington informou a Moscou em maio que não voltaria a entrar no pacto.

Khamenei diz que o Irã quer ação, não promessas, para reviver acordo nuclear

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, fez um discurso televisionado no Irã, em 4 de junho de 2021 (Site oficial de Khamenei/via Reuters).

Na quarta-feira o enviado da União Europeia disse que acredita que um acordo será fechado na próxima rodada, mas outros diplomatas disseram que as decisões mais difíceis ainda estão pendentes.

Rússia revela envio de bombardeiros com capacidade nuclear para base aérea da Síria

Bombardeiros estratégicos supersônicos Tupolev Tu-22M sobrevoam o Kremlin em Moscou, em 7 de maio de 2014, durante ensaio para o desfile do Dia da Vitória (Foto: Yuri Kadobnov/AFP).

Segundo Moscou, bombardeiros Tupolev Tu-22 pousaram na Base Aérea Hmeimim da Síria pela primeira vez; implantação mostra uma extensão do alcance de ataque nuclear da Rússia no Oriente Médio e no Mediterrâneo.