Radar Semanal 16/04/2021

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan (Foto: Adem Altan/AFP).

Nesta edição do Radar, uma análise de como a Rússia vem tomando partido das fraquezas demonstradas pela Europa; o equilíbrio da Turquia entre EUA, Rússia e China; e como o acordo Irã-China mina a efetividade de uma das ferramentas de pressão mais importantes dos EUA, as sanções econômicas.

China pode enviar forças de paz ao Afeganistão após a saída das tropas dos EUA

Foto: Simon Song.

Joe Biden afirmou que as tropas americanas no Afeganistão serão removidas até setembro, e analistas dizem que Pequim está preocupada com o desenvolvimento de grupos terroristas se houver falta de estabilidade na região.

Chefe da inteligência russa considera sanções de Washington uma medida hostil e mal-avaliada

Sergei Naryshkin (Foto: Serviço de imprensa do Kremlin).

O diretor do SVR atribuiu a política errática de Washington em relação à Rússia a vários grupos dentro do governo dos EUA que competem entre si.

Discurso de Biden tentou suavizar retórica em relação à Rússia, diz membro do comitê de relações exteriores russo

O presidente americano, Joe Biden (Foto: Andrew Harrer/EPA-EFE).

Dzhabarov acredita que Moscou deve retaliar as novas sanções de Washington e não se deixar enganar pelas recentes declarações do líder norte-americano.

Moscou responderá simetricamente se os EUA expulsarem diplomatas russos

Primeiro Vice-Presidente do Comitê de Relações Exteriores do Conselho da Federação Russa, Vladimir Dzhabarov (Foto: Vladimir Fedorenko/Sputnik).

Se os EUA impuserem novas sanções, a liderança russa irá considerar retaliações, disse Dzhabarov, acrescentando que é preciso localizar pontos doloridos sensíveis para a América. Além disso, tais medidas não ajudam e podem retardar a reunião entre os presidentes proposta por Biden.

Rússia e Ucrânia realizam exercícios militares; OTAN critica aumento de tropas russas

Carros de combate ucranianos durante exercícios perto da fronteira da Crimeia em 14 de abril de 2021 (Foto: Imprensa Serviço de Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia/Reuters).

Na sequencia da conversa telefônica na última terça-feira entre Biden e Putin, na terça-feira, o Kremlin disse ontem que é cedo para falar sobre uma cúpula com Washington e que a realização de tal reunião depende do comportamento futuro dos EUA, no que parecia uma referência a potenciais sanções aplicadas pelos EUA.

Talibã pode lançar ofensiva após decisão dos EUA de adiar a retirada das tropas

Militares americanos (Foto: Jalil Rezayee/EPA-EFE).

O presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou em 14 de abril que o país iniciaria a retirada das tropas do Afeganistão em 1º de maio e concluiriam o processo até 11 de setembro deste ano.

Joe Biden: manter tropas dos EUA no Afeganistão depois do verão “não faz sentido para mim”

O presidente americano, Joe Biden (Foto: M. Kinnard/AP).

Após vinte anos de guerra, muitos criticam a retirada, especialmente porque as tropas deixarão o país independentemente de a situação de segurança lá se deteriorar.

Porta-voz do Kremlin diz que mais sanções dos EUA indicariam discrepância entre palavras e ações

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov (Foto: Sergei Bobylyov/TASS).

Ao falar sobre a conversa telefônica de terça-feira entre o presidente russo Vladimir Putin e o presidente dos EUA, Joe Biden, o porta-voz Dmitry Peskov lembrou que ambos mencionaram a escalada das tensões na Ucrânia.

Governo Biden prossegue com vendas de armas de US$ 23 bilhões para os Emirados Árabes Unidos

Uma aeronave Lockheed Martin F-35 é vista no ILA Air Show em Berlim, Alemanha, 25 de abril de 2018 (Foto: Axel Schmidt/Reuters).

Porta-voz do Departamento de Estado disse na terça-feira que as datas estimadas de entrega nas vendas aos Emirados Árabes Unidos, se implementadas, eram para depois de 2025 ou mais tarde.