Tensão China-EUA: Strike groups mostram os EUA fortalecendo sua presença no Indo-Pacífico

Porta-aviões classe Nimitz da marinha americana, USS Carl Vinson (Foto: US Navy).

Especialistas militares dizem que implantação regular de grupos de ataque na região indica que os EUA continuarão a fortalecer sua presença militar na região; Especialistas militares e estaleiros chineses acompanharam de perto o teste de choque do USS Gerald Ford para possíveis lições.

Radar Semanal 11/06/21

Exercício de fogo real da Marinha chinesa no Mar da China Oriental em agosto de 2020 (Foto: Navy.81.cn).

O Radar desta semana traz uma advertência da DW, afirmando que uma corrida armamentista de IA já está em andamento; em artigo da Anadolu, analista afirma que Israel está usando os escassos recursos hídricos da região como arma política; uma análise da Foreign Affairs diz que os EUA não estão preparados para uma guerra com a China; e reportagem do SCMP avalia que uma guerra China-EUA poderia começar devido a um acidente.

Departamento de Defesa dos EUA conclui força-tarefa da China e mantém recomendações em sigilo

O presidente dos EUA, Joe Biden, dirige-se a militares americanos na RAF Mildenhall na Grã-Bretanha na quarta-feira 9 de junho (Foto: AP).

O porta-voz do Pentágono disse que o objetivo da força-tarefa foi determinar a melhor estratégia para lidar com a China; ao que se sabe, algumas recomendações envolvem mais educação e proficiência sobre o país.

China e Vietnã concordam em estabelecer linha direta para “lidar com emergências” no Mar do Sul da China

As tensões sobre o Mar do Sul da China, rico em recursos, há muito pesam sobre as relações entre a China e o Vietnã (Foto: Reuters).

Os chefes da marinha chinesa e vietnamita também prometem melhorar o compartilhamento de informações e aumentar a cooperação; linha direta é vista como forma de auxiliar no controle das tensões sobre suas disputas territoriais na região.

China diz aos EUA para “fazerem o que dizem” para melhorar o diálogo entre os militares

Foto: EPA-EFE.

O Ministério da Defesa chinês alerta que a estratégia americana para o Indo-Pacífico está levando a região a um caminho perigoso; pedidos de reunião dos EUA foram rejeitados porque o protocolo diplomático não teria sido seguido.

China rejeitou telefonemas de Lloyd Austin “depois que o secretário de defesa dos EUA solicitou a pessoa errada”

O secretário de Defesa Lloyd Austin, à esquerda (Foto: AP).

Especialistas em relações internacionais disseram que os canais de comunicação entre os governos dos dois países e os militares foram quase suspensos depois das acaloradas discussões entre seus principais diplomatas no Alasca, em março.

Paquistão alerta países asiáticos contra “rivalidade de grande poder” na região

Primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan (Foto: Anadolu).

A Ásia não deve se tornar palco de tensões induzidas de fora ou de dentro, diz o primeiro-ministro Imran Khan, acrescentando que as diferenças e disputas na Ásia exigem soluções asiáticas com base em valores e interesses asiáticos.

USAF foca em fundos de construção para 2022 na Europa, Pacífico e em armas nucleares

Linha de voo de F-16C do 457º Esquadrão Expedicionário de Caça da USAF na 71ª Base Aérea em Campia Turzii, na Romênia, em junho de 2019 (Foto: Megan Crusher/USAF).

Líderes militares dos EUA estão preocupados com as instalações europeias, visando conter a influência russa na região, e com instalações no Pacífico fundamentais para superar a China.

Primeiro-ministro australiano Scott Morrison diz que país manterá sua política para Taiwan

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison (Foto: AFP).

Comentário segue-se ao apelo do ministro das Relações Exteriores de Taiwan, Joseph Wu, para que a Austrália intensifique suas relações com a ilha em meio a ameaças da China; relações diplomáticas entre Pequim e Canberra estão numa escalada de tensões.

Exército americano está otimizando equipamentos de guerra eletrônica para o Indo-Pacífico

O Exército quer ter certeza de que seus próximos sistemas de guerra eletrônica possam apoiar as forças através das vastas distâncias marítimas da região Indo-Pacífico (Foto: Claudio Tejada/US Army).

Sistemas estão sendo otimizados para competir em um ambiente marítimo contra objetivos não tradicionais para o exército, como alvos marítimos chineses.