Novo porta-aviões britânico junta-se à OTAN com mensagem à China

Aeronaves F-35B Lightning II são vistas no convés do porta-aviões HMS Queen Elizabeth ao largo de Portugal, em 27 de maio de 2021 (Foto: Bart Biesemans/Reuters).

Ao longo do percurso de 26 mil milhas náuticas, o HMS Queen Elizabeth fará exercícios com navios das marinhas dos EUA, Singapura, Japão e Coréia do Sul.

Grupo de batalha do Reino Unido suspende em sua primeira implantação

A Rainha Elizabeth II visitou o porta-aviões da Marinha Real HMS Queen Elizabeth em Portsmouth em 22 de maio de 2021, horas antes do grupo de batalha suspender em seu primeiro desdobramento operacional. Durante a visita de 45 minutos, a rainha falou para uma plateia de marinheiros, aviadores e fuzileiros navais britânicos e americanos (Foto: Ministério de Defesa do Reino Unido).

O grupo de batalha britânico é tripulado por 3.700 militares das forças armadas do Reino Unido, EUA e Holanda, percorrerá 26.000 milhas náuticas nesta primeira implantação, e irá realizar mais de 70 engajamentos, exercícios e operações.