Radar Semanal 02/07/21

Meninas ensaiam na Praça Tiananmen, Pequim, antes do desfile comemorativo do 100º aniversário da fundação do Partido Comunista Chinês (Foto: Foreign Policy).

Nesta edição do Radar, trazemos uma matéria sobre a realização de jogos de guerra conjuntos entre os EUA e o Japão, em preparação para um possível confronto com a China por Taiwan; um artigo explana como a OTAN vem evoluindo sua concepção sobre ataques cibernéticos; uma avaliação da relação entre a União Europeia e a Turquia; e uma análise mostra que o partido chinês mantém uma consistência nacionalista ao longo de seus 100 anos de existência.

Após exercícios maciços, China diz que futuro de Taiwan está na reunificação

Porto Kaohsiung em Taiwan, de frente para o Estreito de Taiwan (Foto: Formosa Wandering/Flickr/CC BY-NC 2.0)

Porta-voz do Ministério da Defesa chinês disse que a independência de Taiwan significa guerra, e que os EUA devem entender que o desenvolvimento e o crescimento da China “não podem ser interrompidos por nenhuma força”.

Posicionar uma brigada do US Army em Taiwan e outras formas de conter a China sendo consideradas

Soldados da Força-Tarefa Spartan da 155ª Equipe de Combate de Brigada Blindada do US Army em exercício de fogo real em 2018 perto de Alexandria, Egito (Foto: James Lefty Larime/US Army).

Essa decisão provavelmente abandonaria a atual política de ambiguidade estratégica em relação a Taiwan, que intencionalmente não deixa claro se os EUA defenderiam a ilha em caso de conflito.

Tensão China-EUA: Strike groups mostram os EUA fortalecendo sua presença no Indo-Pacífico

Porta-aviões classe Nimitz da marinha americana, USS Carl Vinson (Foto: US Navy).

Especialistas militares dizem que implantação regular de grupos de ataque na região indica que os EUA continuarão a fortalecer sua presença militar na região; Especialistas militares e estaleiros chineses acompanharam de perto o teste de choque do USS Gerald Ford para possíveis lições.

China condena mais recente trânsito de navio de guerra dos EUA no Estreito de Taiwan

O destroier de mísseis guiados da US Navy USS Curtis Wilbur no mar das Filipinas em agosto de 2013 (Foto: Declan Barnes/US Navy).

A US Navy tem conduzido operações no Estreito de Taiwan a cada mês ou mais. Os EUA não têm laços diplomáticos com Taiwan, mas são seu maior patrocinador e importante vendedor de armas.

Radar Semanal 18/06/21

Imagem: Australian Institute of International Affairs.

O Radar desta semana traz um estudo de qual deve ser a próxima Estratégia de Defesa Nacional dos EUA; uma análise da possibilidade de a China invadir a Ilha Pratas, controlada por Taiwan; Uma avaliação da situação militar da França no Sahel, com a Operação Barkhane; e um analista comenta os atritos entre a China e os países da comunidade de inteligência denominada Five Eyes.

Sete aeronaves de combate do PLA entram na ADIZ de Taiwan dois dias após surtida recorde

O caça J-7, mais antigo, estava entre os sete aviões na última investida chinesa na ADIZ de Taiwan (Foto: SCMP).

Taiwan enviou jatos, emitiu avisos de rádio mobilizou sistemas de mísseis de defesa aérea; sobrevoo incluiu quatro caças J-7 antigos juntamente com jatos modernos, e analistas dizem que poderia ser um teste de interoperabilidade.

Indicado ao Pentágono diz que os EUA podem “deter e derrotar” a agressão chinesa

Ely Ratner (Foto: Center for a New American Security).

Ratner foi conselheiro adjunto de Segurança Nacional do então vice-presidente Biden entre 2015 e 2017, e afirmou que, se confirmado, trabalhará com o comitê das Forças Armadas do Senado para garantir que a capacidade dos EUA em defender Taiwan seja mantida.

Após incursão maciça de aeronaves perto de Taiwan, China diz que deve responder ao “conluio”

Ilustração com bandeiras nacionais chinesas e taiwanesas (Dado Ruvic/Reuters).

Porta-voz do Escritório de Assuntos de Taiwan da China disse que Pequim nunca irá tolerar tentativas de buscar independência ou intervenção estrangeira na questão de Taiwan.

Grupo de ataque dos EUA no Mar do Sul da China antes das negociações de Defesa da ASEAN

O porta-aviões americano USS Ronald Reagan (Foto: US Navy).

O USS Ronald Reagan liderou exercícios navais em áreas disputadas antes de discussões regionais que tem o objetivo de aliviar tensões; A Marinha dos EUA diz que patrulha é parte da “presença de rotina” na região.