Radar Semanal 28/01/2022

Militar ucraniano (Wolfgang Schwan/Anadolu/Getty).

**Exclusivo Assinantes** Se Moscou quis chamar a atenção do Ocidente, foi ouvida em alto e bom som; Topas russas na Bielorrússia assumiram posições perto da fronteira com a Ucrânia; Verdadeiro prêmio na Ucrânia é o fim da influência americana na Europa; Biden pressiona por linha dura contra a Rússia, mas Putin não está tremendo.

Radar Semanal 21/01/22

USS Carl Vinson operando no Mar da China Meridional, abril de 2017 (Matt Brown/Reuters).

**Exclusivo Assinantes** A OTAN é grande e provocativa demais; Os EUA tem mais rivais do que conseguem lidar; A política externa americana joga seus adversários nas mãos uns dos outros; As ambições superdimensionadas das Big Techs.

Infográfico: Guantánamo

Entrada do Campo 1 no Campo Delta na Baía de Guantánamo (Kathleen T. Rhem/Wikimedia Commons/Domínio Público).

O campo de detenção da Baía de Guantánamo é uma prisão militar americana localizada na Base Naval de mesmo nome localizada na costa da Baía de Guantánamo, em Cuba.

Radar Semanal 14/01/22

Soldado ucraniano caminha sob rede de camuflagem em uma trincheira na linha de separação de rebeldes pró-Rússia na região de Donetsk, na Ucrânia, em 3 de dezembro (Andriy Dubchak/AP).

*Exclusivo Assinantes* O radar desta semana traz análises sobre a situação da Ucrânia, além de uma avaliação dos britânicos sobre seus métodos de análise de cenários políticos.

Russos, norte-americanos e europeus debatem o futuro da Ucrânia

Os presidentes Vladimir Putin, da Rússia (esq.), e Joe Biden, dos EUA (dir.).

Negociações que se iniciam hoje em Genebra, na Suíça, poderão ser decisivas não apenas na questão da central da Ucrânia, mas para o futuro das relações entre as duas maiores potências militares do planeta.

A expansão naval da China

O navio de abastecimento Chaganhu e o destroier Nanning, ambos da Marinha chinesa, conduzem exercícios navais no Mar do Sul da China (Weibo).

Na visão de Pequim, o desenvolvimento da capacidade de exercer controle marítimo, não apenas no Pacífico, mas de forma global, é crucial para os interesses da China.

As mudanças climáticas e a disputa pelo Ártico

O petroleiro russo Renda navega em direção a Nome, no Alasca, com a apoio do Healy, cutter da Guarda Costeira dos EUA, no Mar de Bering (Sara Francis/Guarda Costeira dos EUA via Getty Images).

O derretimento da calota polar ártica pode disparar o gatilho de uma acirrada disputa geopolítica entre as três maiores potências militares do planeta.

Radar Semanal 30/12/21

OODA Loop.

**Exclusivo Assinantes** Tóquio se esforça para acompanhar o ritmo da China na Defesa; O teste do hipersônico Shaurya aumenta ambiguidade da postura nuclear da Índia; IA é vista como tecnologia estratégica crítica; EUA e Japão apresentam plano conjunto sobre potencial ataque chinês a Taiwan.

O futuro do Conceito Estratégico da OTAN

Bundesministerium der Verteidigung/Ministério da Defesa da Alemanha.

O debate que leva a novos documentos é tão importante quanto os próprios documentos.

Rússia intensifica presença militar no Pacífico

Forças russas organizam exercício militar no Mar do Japão (Foto de arquivo/Asian Times).

**Exclusivo Assinantes** Moscou dá nova prioridade à liberdade de navegação e defesa costeira em áreas marítimas ultrassensíveis perto do Japão.