A nova estratégia de segurança russa

Tropas aerotransportadas da Rússia desfilam em Moscou (Foto: Zhuravlevzhuravleva/Pixabay).

A nova Estratégia de Segurança da Rússia, assinada por Vladimir Putin no início deste mês, reflete as preocupações atuais dos estrategistas do país. O documento traça as “linhas vermelhas” que os russos consideram que não devem ser ultrapassadas pelo Ocidente, e preocupa o fato de não coincidirem com as linhas traçadas pela OTAN e pelos EUA.

Ministro da Defesa japonês diz que é preciso “acordar” para proteger Taiwan

Yasuhide Nakayama, então Ministro das Relações Exteriores do Japão, durante a Cúpula da Casa Branca sobre Combate ao Extremismo Violento em Washington, em 19 de fevereiro de 2015 (Foto: Joshua Roberts/Reuters).

O Ministro da Defesa do Japão questionou a decisão de seguir a política de “uma China”, que reconhece Pequim em vez de Taipé desde os anos 1970.

Radar Semanal 25/06/21

O Secretário-geral do Partido Comunista da China, Xi Jinping (Foto: Pavel Golovkin/AFP).

Nesta edição do Radar: artigo avalia a atuação de Xi Jinping à frente do PCCh; uma avaliação do orçamento americano para 2022, que mostraria que Biden não prioriza a Defesa; uma análise do porque a OTAN falhou no Afeganistão; e a evolução dos exercícios conjuntos sino-russos, no que parece se encaminhar para uma aliança militar.

Grã-Bretanha poderia desacelerar suas compras de F-35

F-35B Lightning II conduzindo testes a bordo do porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth, em 13 de outubro de 2018 (Foto: Royal Navy).

A Grã-Bretanha havia dito que compraria 138 jatos, mas recentemente se tornou vaga sobre quando e quantos caças acabará comprando.

Posicionar uma brigada do US Army em Taiwan e outras formas de conter a China sendo consideradas

Soldados da Força-Tarefa Spartan da 155ª Equipe de Combate de Brigada Blindada do US Army em exercício de fogo real em 2018 perto de Alexandria, Egito (Foto: James Lefty Larime/US Army).

Essa decisão provavelmente abandonaria a atual política de ambiguidade estratégica em relação a Taiwan, que intencionalmente não deixa claro se os EUA defenderiam a ilha em caso de conflito.

China condena mais recente trânsito de navio de guerra dos EUA no Estreito de Taiwan

O destroier de mísseis guiados da US Navy USS Curtis Wilbur no mar das Filipinas em agosto de 2013 (Foto: Declan Barnes/US Navy).

A US Navy tem conduzido operações no Estreito de Taiwan a cada mês ou mais. Os EUA não têm laços diplomáticos com Taiwan, mas são seu maior patrocinador e importante vendedor de armas.

Tropas de defesa costeira russas realizam exercícios na Crimeia enquanto navios de guerra da OTAN entram no Mar Negro

O destroier britânico HMS Defender e a fragata holandesa HNLMS Evertsen passando pelo Bósforo (Foto: Yoruk Isik/Twitter).

Na primeira fase dos exercícios, as equipes dos sistemas de mísseis estacionados na Crimeia realizaram uma marcha até a área de posicionamento, equiparam e camuflaram as posições.

Indicado ao Pentágono diz que os EUA podem “deter e derrotar” a agressão chinesa

Ely Ratner (Foto: Center for a New American Security).

Ratner foi conselheiro adjunto de Segurança Nacional do então vice-presidente Biden entre 2015 e 2017, e afirmou que, se confirmado, trabalhará com o comitê das Forças Armadas do Senado para garantir que a capacidade dos EUA em defender Taiwan seja mantida.

Rússia desenvolverá caça Su-57 de quinta geração de dois lugares para exportação

Caça Su-57 de quinta geração (Foto: Sergei Bobylev/Tass).

O Ministério da Defesa da Rússia e a Sukhoi tem planos de desenvolver uma aeronave biplace que vai aumentar a demanda de exportação e pode criar uma demanda adicional.

Presidente da ABIMDE irá palestrar em curso sobre economia e planejamento de Defesa

Foto: ABIMDE.

O curso tem como objetivo promover a compreensão das relações entre Economia e Planejamento de Defesa, bem como a importância da Base Industrial de Defesa e Segurança.