Como os britânicos veem seu papel no mundo em 2030 – e como estão se preparando para exercê-lo

Foto: Royal Navy.

Em 16 de março o governo britânico publicou a que é tida como a maior revisão de defesa e segurança do Reino Unido desde o final da Guerra Fria. O documento, com mais de cem páginas, define a abordagem do país aos desafios esperados para a próxima década.

Radar Semanal 15/01/2021

Nesta edição, artigo do Military Times mostra que a Guarda Nacional ocupa o Capitólio, e o Army Times traz matéria em que o Exército americano, seguindo o Estado Maior, também emite nota exortando os militares a manterem a ordem. O Irã volta a violar o acordo nuclear, a Bielorrússia vai atualizar seus sistemas de defesa aérea e a India monta grupo de trabalho com o Japão e a Rússia para uma cooperação trilateral no extremo oriente russo; o Japão saúda os planos ingleses de enviar um porta-aviões à Asia. Também uma análise do ASP sobre as principais questões nucleares de 2021 e uma análise sobre a prisão americana de Guantánamo, em Cuba.

A substituição e a modernização das ogivas das armas nucleares e termonucleares no futuro próximo

As armas nucleares são peças de engenharia de alta complexidade. Como qualquer munição, possuem data de validade, estimada em cerda de 100 anos para núcleos de plutônio e gatilhos de detonação de urânio-235. Boa parte das ogivas atualmente em uso terão que ser modernizadas ou substituídas nos próximos anos.