Radar Semanal 04/06/2021

Artigos recentes da internet na China alegam que o bombardeio da OTAN em 1999 contra a embaixada de Pequim na Iugoslávia foi intencional, alegando que a embaixada abrigava secretamente os restos mortais de um caça stealth americano F-117 Nighthawk abatido na região semanas antes (Foto: Reuters).

No Radar desta semana, um artigo questiona se não há interesses escusos por trás das críticas ao F-35; uma análise geopolítica dos interesses no Chifre da África; uma avaliação do recente pedido de desculpas francês pelo genocídio em Ruanda; e uma curiosa história, talvez incrível demais, sobre qual seria a verdadeira razão do bombardeio da embaixada chinesa na Iugoslávia em 1999.

Decifrando o código das milícias marítimas da China

Nesta imagem da Força Tarefa Nacional do Mar das Filipinas Ocidental, navios chineses estão atracados no Whitsun Reef, no Mar do Sul da China, em 27 de março de 2021 (Foto: Governo das Filipinas).

Um navio de pesca chinês aparece em um local sensível – perto das Ilhas Senkaku no Mar da China Oriental, um recife do Mar do Sul da China ou ao largo de uma base aeronaval dos EUA. É um barco de pesca “comum” ou é uma milícia marítima?

Radar Semanal 19/02/2021

Neste Radar, a China admite a morte de quatro militares nas escaramuças com a Índia em 2020; a radiografia de uma base de mísseis norte-coreana, pelo CSIS; uma tabela comparativa quantitativa das forças armadas dos países do Oriente Médio; artigo do War on the Rocks com reflexões sobre a Guerra do Golfo; e uma análise do Al-Monitor sobre a tríade Rússia-Irã-Turquia e a situação da Síria.