Categoria: Doutrina, Estratégia, Logística

Priorizando as Operações de Combate Convencional em Larga Escala

Tendo em mente que a doutrina do US Army é uma referência para o Exército Brasileiro, este artigo do coronel Alessandro Visacro enfoca a edição de outubro de 2017 do Manual de Campanha FM 3-0, analisando as reais perspectivas das operações de combate em larga escala no atual contexto geopolítico.

O Século XXI é o fim da era do Porta-aviões?

O CMG Sochaczewski examina a importância passada e presente dos porta-aviões, suas vantagens e riscos, fornecendo uma visão da aplicabilidade dessa plataforma até o final do século XXI e, talvez, trazendo subsídios à decisão de novos investimentos nessa classe de navio. Ao mesmo tempo, traça um inestimável histórico sobre a evolução do porta-aviões e o declínio do encouraçado, relacionando-os à evolução das estratégias de projeção de poder naval.

As campanhas submarinas alemã e norte-americana na Segunda Guerra Mundial

Decorridos mais de setenta anos do final da Segunda Guerra Mundial, ainda desperta muito fascínio revisitar aspectos da guerra no mar conduzida naquele período. Este artigo aborda a importância do emprego da arma submarina e da marinha mercante no preparo e emprego das marinhas, a qual parecia relegada a segundo plano no período entre guerras.

Superioridade Aérea na Guerra das Falklands/Malvinas

A Guerra das Falklands/Malvinas foi travada entre a Argentina e o Reino Unido entre abril e junho de 1982 em disputa pela posse das ilhas. Os combates incluíram ataques aéreos de parte a parte, e o resultado final da guerra é bem conhecido. Sem pretender esgotar o assunto, e longe de ser definitivo, este artigo procura analisar a questão da superioridade aérea no conflito do Atlântico Sul.

Ações Aéreas Argentinas na Guerra das Malvinas

Os argentinos mantiveram seus principais meios aéreos nas bases do continente, e de lá, apesar da distância considerável do teatro de operações e com restrições em sua capacidade de reabastecimento em voo, eles operaram diversas missões contra a frota britânica. Neste artigo, o Prof. Rudnei traça um panorama geral das principais ações aéreas da FAA e da Armada durante a guerra.

REVO na Guerra das Malvinas

A capacidade de Reabastecimento em Voo (REVO) é um fator fundamental na guerra aérea moderna. Na Guerra das Malvinas/Falklands, este foi o fundamento que possibilitou, de uma lado, as operações britânicas Black Buck contra o aeródromo de Stanley, e, de outro, o ataque argentino ao destroier HMS Sheffield.

Gerenciamento eficaz da crise

Nenhuma organização, seja militar ou civil, privada ou governamental, está imune à crises. A implementação de processos para lidar com os riscos inerentes a elas, bem como o treinamento de profissionais para executa-los, é de fundamental importância. Neste artigo, o Cel Wanderley Mascarenhas de Souza delineia algumas medidas aplicáveis.