Categoria: Contexto Histórico

Superioridade Aérea na Guerra das Falklands/Malvinas

A Guerra das Falklands/Malvinas foi travada entre a Argentina e o Reino Unido entre abril e junho de 1982 em disputa pela posse das ilhas. Os combates incluíram ataques aéreos de parte a parte, e o resultado final da guerra é bem conhecido. Sem pretender esgotar o assunto, e longe de ser definitivo, este artigo procura analisar a questão da superioridade aérea no conflito do Atlântico Sul.

Ações Aéreas Argentinas na Guerra das Malvinas

Os argentinos mantiveram seus principais meios aéreos nas bases do continente, e de lá, apesar da distância considerável do teatro de operações e com restrições em sua capacidade de reabastecimento em voo, eles operaram diversas missões contra a frota britânica. Neste artigo, o Prof. Rudnei traça um panorama geral das principais ações aéreas da FAA e da Armada durante a guerra.

As Falklands/Malvinas no YouTube

Confira uma série de filmes e vídeos sobre a Guerra das Falklands/Malvinas disponíveis gratuitamente no YouTube. A playlist do Canal Arte da Guerra sobre o tema faz parte da lista e, além disso, incluímos quatro longas argentinos, quatro britânicos e diversos documentários. Com diferentes visões, formam um panorama muito interessante do conflito.

“Por la Pátria!”*: o Esquadrão Fênix

O Esquadrão Fênix (Escuadrón Fénix) foi uma unidade especial da Força Aérea Argentina (FAA, Fuerza Aérea Argentina) formada durante a Guerra das Malvinas em 1982. Foi constituída por militares e civis e aeronaves requisitadas a empresas privadas e agências estatais, e serviu em várias tarefas durante o conflito. Cumpriu um trabalho importante e foi dissolvido após a guerra.

“Scooters Portenhos”: O A-4 Skyhawk a serviço da Argentina na Guerra das Malvinas e além

Na Guerra das Malvinas, os valentes caças A-4 Skyhawk argentinos afundaram o destroier Coventry e as fragatas Antelope e Ardent, além de inflingir severos danos ao destroier Glasgow, às fragatas Argonaut e Broadsword e aos navios de apoio RFA Sir Galahad e Sir Tristan.

REVO na Guerra das Malvinas

A capacidade de Reabastecimento em Voo (REVO) é um fator fundamental na guerra aérea moderna. Na Guerra das Malvinas/Falklands, este foi o fundamento que possibilitou, de uma lado, as operações britânicas Black Buck contra o aeródromo de Stanley, e, de outro, o ataque argentino ao destroier HMS Sheffield.

O Sea Harrier na Guerra das Falklands

O Harrier foi o primeiro avião de combate V/STOL (Vertical/Short Take- off and Landing) a ser produzido em série e a entrar operacionalmente em combate. De sua adaptação para uso naval pela Fleet Air Arm da Royal Navy, emergiu o Sea Harrier, cuja atuação foi essencial para a vitória britânica na Guerra das Falklands/Malvinas em 1982.

O Afundamento do HMS Sheffield

O HMS Sheffield foi o primeiro navio de guerra britânico perdido em combate desde a Segunda Guerra Mundial, e sua perda mostrou que a guerra das Malvinas não seria tão fácil como muitos esperavam. O dia 4 de maio de 1982 foi memorável para os argentinos e uma data negra para os britânicos.

Breve Cronologia da Guerra das Malvinas

Em abril de 1982, a Junta Militar que governava a Argentina realizou uma operação para conquistar as Ilhas Malvinas. Dias depois a Grã-Bretanha colocou em marcha sua maior operação militar desde a Segunda Guerra Mundial. Este artigo traz uma breve cronologia da guerra, que não tem por objetivo esgotar os fatos ocorridos, mas colocar em ordem cronológica os principais acontecimentos, facilitando a compreensão do conflito e “preparando terreno” para a Semana da Guerra Aérea das Falklands/Malvinas que se inicia.