Forte Santa Bárbara, Sistema ASTROS e a Operação Treme Cerrado

Por Albert Caballé Marimón*


Bateria ASTROS disparando foguetes SS-09 (Foto do autor).

O Exercício Treme Cerrado, realizado no início de novembro no Campo de Instrução de Formosa, em Goiás, além de proporcionar o adestramento das tropas envolvidas, mais uma vez mostrou a capacidade do ASTROS, fator de dissuasão do Exército Brasileiro.


O Exercício Treme Cerrado

O Exercício Treme Cerrado IX foi realizado de 2 a 6 de novembro de 2020 no Campo de Instrução de Formosa/GO. A convite do General de Brigada Valério Luiz Lange, do Comando de Artilharia do Exército, o Velho General e o Canal Arte da Guerra viajaram até Formosa para acompanhar o exercício e visitar as instalações do Forte Santa Bárbara, incluindo o Centro de Instrução de Artilharia de Mísseis e Foguetes e o Centro de Logística de Mísseis e Foguetes.

Durante a visita, foi possível presenciar as diversas atividades do exercício, incluindo o planejamento do avanço de unidades de infantaria em coordenação com disparos das baterias, reuniões de briefing e debriefing, visita às unidades bivacadas e disparos das baterias ASTROS.

A operação reuniu unidades da 3ª Brigada de Infantaria Motorizada (36º e 41º Btl Inf Mtz) de Cristalina-GO, do Comando de Artilharia do Exército (6º e 16º Grupos de Mísseis e Foguetes) do Forte Santa Bárbara em Formosa-GO, do 11º Grupo de Artilharia Antiaérea, Batalhão da Guarda Presidencial, 16º Batalhão Logístico e 11º Grupo de Artilharia Antiaérea de Brasília-DF.

Generais Lange e Marcus (à direita), durante briefing na noite anterior à operação (Foto do autor).

Após uma formatura de apronto operacional presidida pelo Comandante Militar do Planalto, o General de Divisão Rui Yutaka Matsuda, acompanhado pelo General de Brigada Marcus Alexandre Fernandes de Araujo, Comandante da 3ª Brigada, o exercício prosseguiu com uma marcha para o combate em dois eixos e um ataque coordenado, com o 36º BI Mec e o 41º BI Mtz em primeiro escalão.

Área de bivaque de tropas da 3ª Bda Inf Mtz (Foto do autor).

O 16º BLOG montou um Posto de Atendimento Avançado (PAA) e realizou uma simulação de atendimento médico de resgate após acidente com uma viatura. O PAA executou um teleatendimento por vídeo-chamada com um especialista clínico que realizou assessoramento remoto até a chegada da equipe médica.

Baterias ASTROS em formatura antes da partida para o exercício (Foto do autor).

No exercício foram empregados um total de 244 viaturas e um efetivo de 1.440 militares de todas as unidades participantes. Todas as funções de combate foram praticadas e o exercício foi finalizado com tiro de armas coletivas, quando os militares se adestraram com metralhadoras MAG 7,62 mm, .50’ Browning M2HB, Sistema de Armas Remotamente Controladas REMAX das viaturas Guarani, canhão 90 mm do EE-9 Cascavel e morteiros de 60 e 81 mm, além do disparo de foguetes SS-09 de 70 mm por quatro lançadores (AV-LMU) ASTROS contra alvos a uma distância de 7.600 metros.

O Sistema ASTROS

O ASTROS (acrônimo para Artillery Saturation Rocket System) é um sistema de foguetes de artilharia para saturação de área desenvolvido pela empresa Avibrás Indústria Aeroespacial S/A, de São José dos Campos-SP.

O sistema se destaca pela capacidade de lançar foguetes e mísseis de diversos calibres, podendo alcançar alvos a distâncias que variam entre 15 e 300 km. Trata-se de um sistema com alta mobilidade, alta capacidade de saturação, aerotransportável e multi-calibre, que pode ser empregado como artilharia de campanha e defesa de litoral.

Viaturas ASTROS do 16º GMF (Foto do autor).

Componentes do Sistema

O ASTROS é um sistema de alta tecnologia com diversos componentes.

O Programa ASTROS 2020

O Programa Estratégico ASTROS 2020 visa dotar o Exército Brasileiro de meios de dissuasão extrarregional com um apoio de fogo de longo alcance e grande precisão. O programa inclui os desenvolvimentos do míssil tático de cruzeiro (MTC) com alcance de até 300 km, do foguete guiado SS-40G, das viaturas lançadoras, remuniciadoras, de comando e controle, meteorológicas e de apoio ao solo, os testes de voo, a produção de protótipos e a definição de insumos agregados, possibilitando o lançamento dos foguetes e do MTC em todas as etapas, desde o recebimento e análise da missão até o controle de danos. O MTC está entrando nas fases finais de certificação, com entrada em produção prevista para daqui a aproximadamente dois anos.

O Forte Santa Bárbara

Planejado no conceito dos fortes do Exército Americano, o Forte Santa Bárbara incorpora unidades relacionadas ao emprego de artilharia de mísseis e foguetes, congregando na mesma organização, além do próprio Campo de Instrução de Formosa, o 6º e o 16º Grupos de Mísseis e Foguetes (GMF), o Centro de Instrução de Artilharia de Mísseis e Foguetes, o Centro de Logística de Mísseis e Foguetes, paióis de munição climatizados, as instalações de comando e administração e de Próprios Nacionais Residenciais (PNR) na Vila Militar, em Formosa-GO.

Grupos de Mísseis e Foguetes – GMF

Cada bateria ASTROS é composta por seis lançadoras, seis remuniciadoras e demais veículos de comando, controle e apoio. Um Grupo de Mísseis e Foguetes (GMF) é composto por três baterias ASTROS.

O 16º GMF é dotado das novas viaturas ASTROS versão MK-6, e o 6º GMF teve suas viaturas versões MK-2 e MK-3 modernizadas para o patamar de funcionalidade e operacionalidade da versão MK-6. Assim, não obstante a diferença de idade entre as viaturas, todas estão atualizadas para a versão mais recente.

O 6º Grupo de Mísseis e Foguetes – GMF (Foto do autor).

O Centro de Instrução de Artilharia de Mísseis e Foguetes

O Centro de Instrução é um amplo espaço com salas de aula onde os participantes recebem instrução sobre todas as características do sistema ASTROS, desde a checagem inicial de uma viatura até a sua operação e comandos.

Além disso, conta com tecnologia de ponta, desenvolvida em parceria com a Universidade Federal de Santa Maria em Santa Maria-RS, que resultou no SIS-ASTROS (Simulação Integrada do Sistema ASTROS). Trata-se de um sistema integrado de simulação para a formação, capacitação e adestramento da artilharia de mísseis e foguetes, envolvendo os níveis tático, operacional e estratégico.

Mapa digitalizado do SIS-ASTROS (Foto do autor).

De forma resumida, o planejamento de missão é inserido num mapa digitalizado que considera todas as variáveis envolvidas, inclusive o tipo de terreno. Uma vez introduzidos os dados, toda a missão pode ser reproduzida numa tela de alta resolução e assistida a partir de diversos ângulos simulados pelo software. Os resultados podem ser visualizados e alterados, permitindo a simulação de diversas hipóteses, proporcionando assim uma poderosa ferramenta aos planejadores de missão.

Para um futuro próximo está prevista a instalação de simuladores das viaturas que compõem o Sistema ASTROS (nos moldes dos simuladores de voo), para os quais a missão planejada poderá ser transferida e reproduzida pelos alunos para um adestramento mais realista.

Tela de alta resolução do SIS-ASTROS (Foto do autor).

O Centro de Logística de Mísseis e Foguetes

O Centro de Logística de Mísseis e Foguetes é a unidade responsável pelo planejamento, coordenação, implantação e controle do Suporte Logístico Integrado para o Sistema de Mísseis e Foguetes, e tem por objetivo a obtenção de altos índices de disponibilidade do sistema ASTROS e a otimização dos custos do ciclo de vida desses equipamentos.

Fachada do Centro de Logística de Mísseis e Foguetes (Foto do autor).

O complexo conta com um amplo espaço assemelhado a um hangar de aeronaves, podendo acomodar grande número de veículos, incluindo as viaturas do sistema propriamente dito e unidades de apoio, oficinas de manutenção, estoque de peças, e todo o equipamento necessário para a manutenção.

Garagens do Centro de Logística de Mísseis e Foguetes (Foto do autor).

*Albert Caballé Marimón possui formação superior em marketing. Depois de atuar trinta e sete anos em empresas nacionais e multinacionais, há cinco anos dedica-se à atividade de pesquisador nas áreas de História Militar, Defesa e Geopolítica. É fotógrafo profissional e editor do blog Velho General. Já atuou na cobertura de eventos como a Feira LAAD, o Exercício CRUZEX, a Operação Acolhida e proferiu palestras na AFA, Academia da Força Aérea. É colaborador da revista Tecnologia & Defesa e do Canal Arte da Guerra. E-mail caballe@gmail.com.

6 comentários sobre “Forte Santa Bárbara, Sistema ASTROS e a Operação Treme Cerrado

  1. Excelente trabalho!
    Tive a oportunidade de acompanhar os vídeos pelo canal “Arte da Guerra” e os senhores foram excepcionais.
    Abraços!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s