Saudades da Marinha?

B-Top-720x75px-V-Unit.jpg

Albert-VF1 Por Albert Caballé Marimón*

Baixar-PDF

Capa-PDF-1.jpg
Montagem a partir de “Old Salt of the Sixth Fleet”, obra de Frank Zuccarelli.

Está na reserva da Marinha1 há muito tempo? Sente saudades? Quer se sentir como se ainda estivesse na ativa? Eis a solução!


  • Antes de mais nada, para começar a rotina, compre uma caçamba ou um container, pinte de cinza por fora e verde-claro por dentro e more nele por seis meses. Se for submarinista, pinte de preto por fora; se hidrógrafo, de branco;
  • Pinte toda a casa pelo menos uma vez a cada dois meses;
  • Deixe expostos nas paredes todo o encanamento e a fiação da casa;
  • Eleve o patamar da soleira e rebaixe a parte superior das portas, de modo que tropece ou bata com a cabeça ao passar por elas;
  • Eleve o nível de sua cama até ela ficar a doze centímetros do teto, de modo que você não possa virar o corpo à noite sem ter de levantar e se deitar novamente. Alternativamente, passe a dormir em baixo da cama para ter a sensação de estar em um beliche a bordo;
Thumb-ADG Assista ao vídeo 863 do CANAL ARTE DA GUERRA:

Resgate do C-130 Hercules chileno: entrevista com Coronel do Para-SAR

  • Três vezes por semana, durma na prateleira do guarda-roupa. Substitua a porta do guarda-roupa por uma cortina. Peça à sua mulher para, duas horas depois de você cair no sono, abrir a cortina com violência, acender uma lanterna na sua cara e dizer: “desculpe, beliche errado”;
  • Faça uma grande obra em seus banheiros. Remova a banheira e adicione mais três chuveiros à altura do peito sem esquecer de erguer uma chapa entre os chuveiros. Ao se ensaboar, desligue sempre o chuveiro e cronometre seu banho diário para durar não mais que cinco minutos. O banho deve ser gelado no inverno;
  • Às segundas, quartas e sextas, aqueça a água nas torneiras até 60°C. Às terças e quintas, desligue o aquecedor. Aos sábados e domingos participe à família que o desperdício de água é muito grande e que não haverá banho nesses dias;
  • Ao invés de usar Bom Ar, ponha óleo lubrificante no umidificador e deixe-o dia e noite na posição de maior potência;
  • Uma vez por semana, lance fumaça pela chaminé de modo a cobrir as casas dos vizinhos com fuligem. Ignore as reclamações;
  • Nada de contratar assistência técnica para eletrodomésticos e eletrônicos. Crie cursos de qualificação para sua família aprender a operar e reparar todos os equipamentos da casa. Depois obrigue todos a fazerem cursos de requalificação a cada seis meses e, uma vez por mês, estabeleça uma rotina de desmontagem, inspeção e montagem completa de tudo;
  • Peça ao seu vizinho par ir à sua casa diariamente às 0500 e entrar apitando nos quartos (bem alto) e gritando: “Alvorada, alvorada, reunir todos no quintal em cinco minutos”;
LIVRO RECOMENDADO:

Linguagem do Mar – Dicionário Náutico

  • Edwin Rudyard Wolffdick (Autor)
  • Em português
  • Capa dura
  • Peça à sua mulher para, diariamente (exceto aos sábados e domingos) passar as “Ordens de Parada”: ela deve escrever tudo o que pretende ver feito até o dia seguinte e ler tudo para você às 0815 (para essa leitura, toda a família deve estar reunida em pé, no quintal, cabelos cortados, impecavelmente barbeados e trajando as melhores roupas. Sua esposa deve inspecionar tudo com o máximo de rigor). Se chover, o evento deverá ser transferido para a garagem;
  • Esvazie todas as latas de lixo da casa e passe a vassoura na casa inteira três vezes ao dia, mesmo que tudo já esteja imaculadamente limpo;
  • Não assista à TV, a não ser para ver gravações daqueles filmes repetidos que passam de madrugada. Peça aos seus familiares para votarem no filme que desejam ver, mas sempre exiba um não votado; certifique-se de que o mesmo filme seja repetido muitas vezes;
  • À noite, quando todos estiverem prontos para assistir à novela, invada a sala com um megafone, berrando: “Postos de estudo! Postos de estudo! Guarnecer livros, lápis e cadernos! Informação geral: isto é um exercício, isto é um exercício para adestramento de como se deve fazer o dever de casa!”. A mensagem deve sempre ser repetida;
  • Elabore um cardápio semanal incluindo refeições como: “Macaquinho no Cipó”, “Manto Sagrado”, “Pata de Elefante”, “Frango Atropelado”, “Silverinha de Legumes”, “Presuntada”, “Sandálias da Humildade”, “Risoto de Salsicha”, “Arroz com Sardinha”, “Carne de Monstro” entre outras iguarias repugnantes;
  • Para o café da manhã inclua um “mingau de bolinha”;
  • Afixe um aviso na porta da cozinha informando a família que o jantar será filé mignon. Quando chegarem à cozinha, diga-lhes que os bifes acabaram e que terão de se contentar com presuntada e salsicha;

Banner-Alexa-Xmas.jpg

  • No fim do mês, faça um balanço de paiol de mantimentos da casa. Convoque todos para “Faina de Mantimentos” e vá com a família ao supermercado;
  • Duas vezes por semana, acorde à meia-noite, coma um pedaço de bolo, beba uma caneca de café requentado, dirija-se à sacada e permaneça lá até as 0400 atento ao tráfego aéreo e/ou terrestre que, por qualquer razão, possa colidir com sua casa;
  • Ajuste o despertador para disparar aleatoriamente no meio da madrugada. Quando tocar, pule da cama e vista-se com a maior rapidez possível, assegurando-se de que a camisa esteja totalmente abotoada e as calças estejam enfiadas nas meias. Use uma touca branca que cubra toda a cabeça, deixando apenas orifícios para olhos e narinas. Corra em disparada para o quintal, guarneça a mangueira do jardim e apague um incêndio simulado;
  • Uma vez por semana, jogue o cachorro ou o gato na piscina e grite: “Homem ao mar por boreste” (ou por bombordo, dependendo do lado da piscina em relação à frente da casa). Avalie e dê nota de 0 a 5 à presteza com que seus familiares retiram o animal da água;
  • Sempre que for usar o fogão, a máquina de lavar ou qualquer equipamento da casa, ponha fones de ouvidos e, com um barbante, pendure um copo de plástico no pescoço. Posicione-se em frente, por exemplo, ao fogão e fale para o copo de plástico “Comando, Cozinha, fogão guarnecido e pronto”. Ao final, diga ao copo de plástico: “Comando, Cozinha, permissão para desguarnecer? Ciente”. Com todo cuidado, guarde os fones, o copo e o barbante numa caixa de sapatos acolchoada;
  • Às 2200, megafone em punho, berre pela casa inteira: “Silêncio! Silêncio! Eletricista de serviço, reduzir luzes internas!”. Em seguida, apague todas as luzes, deixando acesas apenas lâmpadas de cor âmbar para a iluminação dos corredores e escadas;
  • Por volta da meia-noite, certifique-se de que todos estejam dormindo profundamente, em seguida, toque fogo na lixeira e grite pela casa com um megafone: “Guarnecer postos de Incêndio! Incêndio na casa de máquinas! Guarnecer Controle de Avarias!”. Avalie. Se o fogo for dominado em menos de dois minutos, toque: “Volta aos postos de combate”. Se não, toque abandonar a casa;
O Velho Marinheiro: A História da Vida do Almirante Tamandaré por [Cheuiche, Alcy] LIVRO RECOMENDADO:

O Velho Marinheiro: A História da Vida do Almirante Tamandaré

  • Alcy Cheuiche (Autor)
  • Em português
  • Versões eBook Kindle e Capa Comum
  • Sempre que houver uma tempestade, sente-se numa gangorra com alguém da família e permaneça ali durante seis horas, fazendo movimentos bruscos;
  • Se for maquinista, ligue o motor do cortador de grama na garagem e fique sentado ao lado dele durante, pelo menos, quatro horas;
  • Coe dezoito colheres de sopa do café mais barato do mercado e deixe, em fogo lento, em ponto de fervura por cinco horas antes de beber;
  • Para cortar seu cabelo, chame sempre uma criança com menos de dez anos, usando tesouras de tosquiar;
  • Acrescente 0,2 l de óleo diesel ao detergente com que for lavar a sua roupa;
  • Anote, em cada hora cheia, as leituras do medidor de consumo de energia elétrica e o nível da caixa d’água. Peça para sua mulher rubricar todas as folhas com suas anotações;
  • Uma vez por mês, vista-se com sua melhor roupa e vá ao pior bairro da cidade. Beba até de madrugada no pior boteco pé-sujo do bairro e volte a pé para casa totalmente de porre;
  • Tranque a família em casa durante seis semanas. Prometa que, ao final desse tempo, vai levar todo mundo a um passeio no Disney World. Ao fim da sexta semana, informe a todos que o passeio foi cancelado porque é preciso se preparar para outra inspeção e que terão de esperar mais uma semana antes de poderem sair de casa;
  • Quando os filhos pedirem pra sair de bordo, digo, de casa, mande fazer uma “Papeleta de Licença”. Quando vier com a papeleta pergunte se suas tarefas foram concluídas e também se a “Licença” é muito necessária. Não acredite se disserem que é para enterrar um amigo ou algo do gênero;
  • Peça sempre licença à sua esposa para se ausentar de casa entre sete e meia da manhã e quatro da tarde. Mostre a papeleta ao filho ou à filha que estiver de serviço no portão antes de sair;
  • Saia pelos quartos da casa às 0600 apitando e gritando: “Alvorada, alvorada, reunir em dez minutos para a Faxina do Quarto D’Alva!”;
  • Se sair de casa com a família, trinta minutos antes anuncie: “Retirar Lixo de Bordo”, “Preparar para Suspender”, Toque “Detalhe Especial para o Mar” e adote a “Condição Zulu de Fechamento do Material”;
  • Quando sua mulher for preparar o almoço deverá dizer: “Comando, Cozinha, fogão guarnecido e pronto”. Ao que você responderá: “Cozinha, Comando ciente. Abre Fogo”;
  • Peça à sua mulher para acordá-lo às 0330 e dizer: “Acorda campanha, render o quarto!”;

Depois é só tocar alvorada e começar tudo de novo.


1 Este texto circula em várias versões. Esta versão foi produzida a partir de material gentilmente enviado pelo Comandante Robinson Farinazzo.

Banner-loja-02.jpg


*Albert Caballé Marimón possui formação superior em marketing, é fotógrafo profissional e editor do blog Velho General. Já atuou na cobertura de eventos como a Feira LAAD, o Exercício CRUZEX e a Operação Acolhida. É colaborador da revista Tecnologia & Defesa e do Canal Arte da Guerra, onde, entre outras atividades, mantém uma resenha semanal de filmes e documentários militares. Pode ser contatado através do e-mail caballe@gmail.com.


Apoie o VG e ganhe um PDF sobre a Amazônia!

Ajude a manter o Velho General! O apoio financeiro ajuda a cobrir despesas com hospedagem de site, Internet, passagens e hospedagens na cobertura de matérias, assinaturas, livros, etc. A contribuição é única, não mensal. Contribua com quantas cotas quiser e ganhe um PDF com os artigos sobre a Amazônia, organizado com capa e índice! O Velho General agradece a sua contribuição!

R$5,00


 

4 comentários sobre “Saudades da Marinha?

  1. Muito legal o texto, apesar de não ter servido na marinha, fiquei imaginando as cenas e sorrindo! Parabéns pelo excelentes textos sempre!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s